Análise. Luís Augusto Monaco O futebol que dá gosto agora é o europeu

O sorteio dos confrontos das quartas de final da Copa dos Campeões foi perfeito para o futebol. A não ser que ocorram zebras de grandes proporções, Barcelona, Real Madrid e Borussia Dortmund estarão nas semifinais. E o quarteto será bem completado por Bayern de Munique ou Juventus, protagonistas do choque mais equilibrado.

O Estado de S.Paulo

16 de março de 2013 | 02h07

Com exceção do Real - que prefere os contragolpes para despejar seu grande poder de fogo -, os outros têm como ponto forte a inteligência e a qualidade técnica dos meio-campistas. Busquets, Xavi, Iniesta, Pirlo, Marchisio, Toni Kroos, Schweinsteiger, Götze e Reus são dignos representantes de uma estirpe de jogadores que antes abundava no Brasil e hoje está quase extinta.

É um sinal dos tempos que, para ver o futebol bem jogado - com toque de bola e sem correria e chuveirinhos - , seja preciso sintonizar a tevê em partidas da Europa. O que era uma marca dos times brasileiros agora é de europeus. E o quadro não vai mudar enquanto os técnicos daqui colocarem "pegada" e "intensidade" à frente de tabelas e ousadia.

Então, que as zebras não atrapalhem e os times que jogam bola sigam em frente.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.