Fabio Motta/Estadão
Fabio Motta/Estadão

Anderson Silva afirma que lutará por mais cinco anos

Lutador acredita que deve voltar ao octógono em 2016

O Estado de S. Paulo

27 Março 2015 | 00h24

Nem o teste positivo no exame antidoping realizado antes da luta contra o americano Nick Diaz desanimou Anderson Silva. Em um seminário de lutas, nesta quinta-feira, no Rio de Janeiro, Spider afirma que ainda não sabe como foi pego no doping, espera voltar a lutar somente em 2016 e pretende ficar mais cinco anos no UFC antes de se aposentar.

"Volto a lutar no ano que vem. Ainda não sei o que aconteceu nessa história do doping. Os suplementos que utilizei na recuperação da fratura na perna foram levados para análise. Vamos descobrir o que houve, mas ano que vem volto a lutar de qualquer jeito. Já seria o prazo natural", garantiu Anderson Silva ao responder perguntas dos fãs durante o seminário. O lutador não respondeu as perguntas dos jornalistas presentes no local.

Temporariamente suspenso por conta das substâncias proibidas, Anderson Silva ainda confirmou que pretende lutar mais cinco anos. "Eu só voltaria a lutar em um ano mesmo, então esta suspensão não irá interferir no meu treino. Pretendo lutar ainda mais cinco anos no UFC", afirmou Spider.

O evento foi realizado em um clube da Lagoa, na zona sul da cidade carioca. Anderson Silva atendeu participantes que gostariam de aprender técnicas de lutas com uma das maiores referências do esporte enquanto não tem data para retornar ao principal palco da luta livre no mundo.

Mais conteúdo sobre:
UFC Anderson Silva Doping Nick Diaz

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.