Anderson Silva derrota japonês e mantém título do UFC

Brasileiro nocauteou Yushin Okami e defendeu o cinturão dos médios pela nova vez consecutiva

AE, Agência Estado

28 de agosto de 2011 | 08h52

RIO - O brasileiro Anderson Silva voltou a brilhar dentro do octógono do UFC. Diante de sua torcida, no Rio de Janeiro, ele nocauteou o japonês Yushin Okami na noite de sábado e defendeu o cinturão dos médios pela nona vez consecutiva, recorde absoluto na competição.

Com a vitória, sua 14ª no UFC, Silva devolveu a derrota sofrida para o japonês, em janeiro de 2006, no Japão. Em toda sua carreira, o brasileiro acumula 31 triunfos e apenas quatro derrotas.

A aguardada luta entre Silva e Okami começou com muito respeito no octógono. O brasileiro estudou o adversário antes de tentar os primeiros golpes. O rival chegou a segurar Silva no "clinch" por alguns minutos, mas acabou levando um forte chute na cabeça ao final do primeiro round.

Silva manteve a agressividade no segundo round, o que empolgou a torcida presente na lotada HSBC Arena. Com visível superioridade, o brasileiro acertou forte direto de direta no adversário, que foi ao chão, faltando três minutos para o fim do round. Silva ainda acertou alguns golpes no rosto do japonês antes de ter sua vitória sacramentada pelo árbitro do duelo.

A festa da torcida brasileira havia iniciado com a vitória por nocaute de Minotauro sobre o favorito americano Brendan Schaub. "Eu vim de três cirurgias, passei um ano parado, quatro meses e meio andando de muleta. Tive pouco tempo para treinar, mas fiz isso por vocês", comemorou o brasileiro ao fim da luta.

Maurício Shogun também levantou o público ao nocautear o americano Forrest Griffin, que o havia vencido em 2007. Ainda no sábado, os brasileiros Edson Barboza, Paulo Thiago, Rousimar ''Toquinho'' Palhares e Thiago Tavares também venceram no octógono.

Tudo o que sabemos sobre:
UFCAnderson SilvaMinotauro

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.