Reuters
Reuters

Anderson Silva oficializa desistência de seletiva do tae kwon do

CBTKD publica nota confirmando desistência do lutador

Estadão Conteúdo

15 de junho de 2015 | 12h42

Terminou sem nenhuma luta a curta passagem de Anderson Silva pelo tae kwon do. Nesta segunda-feira, a Confederação Brasileira da modalidade (CBTKD) publicou curta nota no seu site oficial confirmando que o lutador de MMA desistiu de disputar uma vaga na equipe brasileira que vai aos Jogos do Rio, ano que vem, o que ambos anunciaram com pompa há menos de dois meses.

De acordo com a CBTKD, a entidade ficou sabendo da desistência de Anderson ao ler uma entrevista do empresário dele, Jorge Guimarães, o Joinha, ao site Portal do Vale Tudo, na semana passada. Então, procurou o agente, que confirmou a informação. "Caiu a ficha dele (Anderson Silva). Ele tem 40 anos e vai focar num esporte (MMA)", disse ele à CBTKD, de acordo com o comunicado.

O presidente da entidade, Carlos Fernandes, que parecia o maior entusiasta da ideia de Anderson Silva se arriscar no tae kwon do, agora mostra arrependimento e culpa o lutador. Ele, entretanto, não admite ter errado.

"Apesar de não ter sido um erro nosso, peço desculpas aos atletas, sociedade e imprensa. Até mesmo pelo fato de a CBTKD ter levado tudo isso a sério e também em todo tempo cumprido com todo nosso discurso. Ele (Anderson) veio aqui pessoalmente querendo participar da Olimpíada 2016. Agora manda recado por terceiros", reclamou Carlos Fernandes.

Anderson Silva já era "embaixador do tae kwon do" quando enviou carta à CBTKD afirmando que estava à disposição para os Jogos do Rio-2016. A entidade publicou a carta em seu site oficial e criou alvoroço. Depois, convocou entrevista coletiva, estendeu o tapete vermelho a Anderson Silva em uma entrevista coletiva, e informou que ele participaria "das seletivas" para os Jogos, sem explicar como seriam essas "seletivas".

Entidade e lutador foram criticados pela ação, uma vez que ele está suspenso por ter sido pego em três testes antidoping realizados pela Comissão Atlética de Nevada (EUA), antes de uma luta no UFC. Alguns atletas da modalidade ainda reclamaram do beneficiamento a Anderson, que sequer era filiado a uma federação e entraria direto na disputa pela vaga olímpica sem percorrer todo o caminho pelo qual os demais tiveram que passar, com campeonatos estaduais, regionais e nacionais.

Tudo o que sabemos sobre:
tae kwon doRio-2016Anderson Silva

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.