André Domingos, ?homem curva? do 4 x 100

André Domingos correu os 100 m desta Olimpíada de Atenas já como treino para o revezamento 4X100 m, prova em que o Brasil iniciou uma tradição, com duas medalhas olímpicas: bronze em Atlanta/96 e prata em Sydney/2000. Sentiu a pista do Estádio Olímpico, o clima do público. E saiu contando sobre a especialidade de ser "homem de curva": Cláudio Souza abre e faz a primeira para a equipe e as passagens seguintes são com Edson Luciano, André (na segunda curva), e Vicente Lenílson. André é o mais descontraído da equipe de atletismo e também corre dessa forma, segundo o técnico Jayme Netto. Os "homens de curva" ou são baixos, ou são leves", diz o treinador (André tem 1,87 e apenas 78 kg).O velocista tem orgulho de ser chamado de "homem de revezamento", em vez de levar o rótulo pelo lado do desprezo. E explica que a prova - por ser equipe - está no sangue do brasileiro, como um time de vôlei, de basquete.Mas o melhor são as explicações de André, considerado o atleta mais forte do mundo correndo em curva. Diz que suas pernas "rodam" mais que as dos outros e imita a si mesmo, tentando colocar o centro de gravidade do corpo (o umbigo) mais para o chão: "Você corre agachado (e faz o gesto meio de lado, para demonstrar), com o quadril baixo na curva. Não é a perna dobrada. É assim, ó, dá uma agachadinha. E você consegue ter mais pegada no chão."

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.