André Santos chora com a convocação

Corintiano não conseguiu conter a emoção ao ser chamado por Dunga

Fábio Hecico, O Estadao de S.Paulo

22 de maio de 2009 | 00h00

Mesmo cansado após a batalha contra o Fluminense e pela curta noite de sono, o lateral-esquerdo André Santos fez questão de acompanhar ontem a convocação do técnico Dunga. "Ele sempre estava observando os jogadores do Brasil e nunca perdi a esperança." Em casa, ao lado da mulher, Suelen, viu o treinador anunciar os nomes e pulou de alegria ao ver que, pela primeira vez na carreira, fazia parte da lista. Suelen não conseguiu conter os gritos, enquanto André caiu no choro, de felicidade. "Realmente não consegui segurar as lágrimas. Fiquei bastante emocionado", afirmou. "Agora vou lá para brigar pela posição de titular", declarou o jogador, que terá como concorrente direto o ex-corintiano Kléber, hoje no Internacional.Após a convocação, o cansaço deu lugar à euforia. "O telefone não parou mais de tocar, foram mais de 30 ligações num curto período", revelou. O presidente Andrés Sanchez foi um dos primeiros a lhe dar os parabéns. Também falou com os familiares, com vários companheiros de clube e com amigos de infância. "Chego à seleção graças ao apoio dos companheiros. Sem eles não teria conseguido", disse André. "Agora, tenho de mostrar potencial para que seja a primeira de muitas convocações. E acho que vai ser." VICTOR COMEMORAO goleiro Victor, do Grêmio, um dos novatos da seleção, foi outro que comemorou muito a convocação do técnico Dunga. "Quando se joga em time grande, se pensa nisso. Mas eu não imaginava que seria tão rápido. Muita coisa aconteceu em um ano e meio e sempre de maneira positiva", disse Victor, após o treino de ontem. "Agora vou ser cobrado como goleiro de seleção e tenho de estar pronto para isso", afirmou.Victor fez questão de dividir os méritos de sua primeira convocação com o treinador de goleiros do Grêmio, Francisco Cersósimo. "O Chiquinho é um dos maiores responsáveis por essa convocação. Ele é muito competente e sempre está disposto para nos ajudar", enfatizou. "E o fato de treinar ao lado do Julio Cesar e do Gomes só tem a acrescentar ao meu trabalho", enfatizou. "Ir para a Copa do Mundo é o meu desejo. Espero ter sequência como goleiro de seleção a partir de agora."

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.