André Santos marca no fim e livra Corinthians de vexame

Líder atua boa parte da partida com 2 jogadores a mais e chega à vitória só aos 49 minutos

Fábio Hecico, O Estadao de S.Paulo

14 de setembro de 2008 | 00h00

Tudo caminhava para mais um vexame corintiano. Com dois jogadores a mais em campo, o time não conseguia marcar gols no Pacaembu. Renê, goleiro do Barueri, fazia milagres e o empate parecia inevitável. Mas, como há coisas que só acontecem com o Corinthians, no último lance do jogo, André Santos desviou um cruzamento para as redes e as vaias se transformaram em festa preta e branca.Com 1 a 0 apertado, sofrido, o líder da Série B agora soma nove pontos a mais que o Avaí, o segundo colocado, e está com 15 na frente do Barueri, na quinta posição. Segundo os matemáticos, pode garantir o acesso com mais três vitórias, apesar de, no Parque São Jorge, calcularem que o acesso virá com 68 pontos. Com a vitória de ontem, a sexta seguida, o time soma 54.Coisas do futebol. O triunfo magro, no sufoco, poderia ter sido bem diferente. Hoje, os corintianos poderiam estar comemorando mais uma goleada sobre o Barueri - no primeiro turno, com time reserva, foi 4 a 1 na casa do adversário. Não fosse uma enorme incompetência do ataque corintiano, aliada à tarde inspirada do goleiro Renê, e a torcida soltaria o grito de gols em diversas oportunidades.Nos primeiros 45 minutos, Lulinha desperdiçou as melhores chances. A etapa, contudo, ficou marcada por uma falta de sintonia da arbitragem.Aos 22 minutos, Herrera arrancou e, na entrada da área, acabou atropelado pelo zagueiro Duílio. O árbitro Domingos de Jesus Viana Filho, do Pará, olhou para o auxiliar Luiz Quirino da Costa, que correu para a linha de fundo e não teve dúvidas: apontou o pênalti.A falta aconteceu fora da área e o quarto árbitro, Marcelo Aparecido de Souza, após receber informação de outra pessoa, avisou Domingos, que voltou atrás na decisão. Os corintianos ficaram indignados. "Não podemos ter interferência na arbitragem. O quarto árbitro não tinha condições de ver de onde estava", protestou Mano Menezes. "Daqui a pouco vira tênis", detonou Felipe. Herrera disse que sofreu o pênalti e falou que futebol vai virar rúgbi. "Não vi o lance, mas ele pediu e dei minha opinião", piorou a situação Marcelo.Após muita polêmica, a bola voltou a rolar. Era Corinthians no ataque e Renê fazendo defesas após defesas. Na segunda etapa, o camisa 1 até pênalti defendeu, em cobrança de Chicão. O relógio marcava 19 minutos e, desde aquele momento, o Barueri jogava com dois a menos: Duílio (no pênalti polêmico) e Leandro Castan (no pênalti existente) haviam sido expulsos. Foram quase 30 minutos de êxito, até, no lance final, André Santos definir.REFORÇOA diretoria do Corinthians confirmou acerto com o volante Cristian, do Flamengo. O jogador chega ao Parque São Jorge na semana, para contrato de três anos.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.