Andrés ameaça largar presidência se houver agressão

O presidente corintiano não apareceu ontem para dar explicações, mas mandou um recado a alguns jornalistas de sua confiança: se houver agressão a ele ou a alguém de sua família, vai deixar a presidência do clube.

Giuliander Carpes, O Estado de S.Paulo

05 de fevereiro de 2011 | 00h00

Andrés Sanchez disse que sofreu ameaças de integrantes de torcidas organizadas e afirmou que ainda pretende se reunir com as principais organizadas do clube para acalmar os ânimos, mas mostra receio de que as ameaças se tornem realidade.

O dirigente não aceita um dos principais pedidos dos torcedores: a demissão do técnico Tite. Tampouco tem condições de impor um relacionamento diferente com Ronaldo, que, além de ser jogador do Corinthians, tem uma parceria comercial com o clube alvinegro.

Os dirigentes corintianos temem que o clima esquente ainda mais no final de semana. O treino de hoje será fechado para imprensa e torcida e não está confirmada a presença de Ronaldo e Roberto Carlos, que podem ser poupados.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.