Divulgação/Washington Alves
Divulgação/Washington Alves

Andrés Sanchez garante que não vai aumentar oferta por Montillo

Presidente do Corinthians oferece R$ 19 milhões e se mostra confiante com acerto

Fábio Hecico e Vitor Marques, O Estado de S.Paulo

14 de dezembro de 2011 | 03h06

SÃO PAULO - O Corinthians não vai aumentar um centavo na proposta que fez ao Cruzeiro por Montillo. "São oito milhões (de euros, cerca de R$ 19 milhões) e ponto. Não pagamos mais do que isso e estou confiante num acerto", afirma o presidente Andrés Sanchez.

Os mineiros estão irredutíveis na pedida de R$ 36 milhões - quase o dobro da oferta corintiana - e fazem leilão com o interesse de São Paulo e Flamengo.

Montillo já tem as bases salariais acertadas com o Alvinegro. Receberia cerca de R$ 300 mil e disputaria novamente a Libertadores, competição que o seduz.

O argentino seria o "cara" para 2012, o diferencial que faltou na atual temporada. E aceitou assumir o papel de protagonista.

Para isso, ele tem um missão nada ingrata. Convencer os mineiros de que sua negociação seria boa para ambos os lados.

"Quando um jogador não quer ficar num clube, não tem quem o segure", revela Andrés, que não se preocupa com a alta pedida dos mineiros. "Isso faz parte das negociações. De quem não quer vender. Não pretendo liberar o Paulinho e, se chegar uma proposta oficial, vou dizer que só o libero por 25 milhões (R$ 100 milhões). É assim que funciona."

Diferentemente de outras posições, o Corinthians focou apenas em Montillo para a meia-direita. E a tática adotada pela direção corintiana será a da espera.

Com Kleber não deu certo, já que o jogador não abriu mão das altas cifras oferecidas pelo Grêmio. Agora, com salário acertado com Montillo, os corintianos confiam num final feliz.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.