Andretti: ''Público pode esperar emoção''

Dirigente recomenda não comparar a Indy com a Fórmula 1: ''É diferente''

Valéria Zukeran, O Estadao de S.Paulo

13 de março de 2010 | 00h00

FAMÍLIA - Marco (com o braço levantado) se espelha no pai, Michael

Com a experiência de quem conhece as duas principais categorias monoposto do automobilismo internacional, Michael Andretti faz um alerta para o torcedor brasileiro que estará no Anhembi, hoje, para acompanhar os treinos da etapa brasileira da Fórmula Indy: a Fórmula 1 não serve como referência.

"É diferente", garante o ex-piloto das duas categorias, atualmente dono da equipe Andretti Autosport, que conta com o brasileiro Tony Kanaan e os americanos Danica Patrick, Ryan Hunter-Ray e Marco Andretti.

A principal diferença, segundo ele, está na emoção. Andretti, que foi campeão da Indy em 1991, ressalta que a categoria tem muitos favoritos. "Os carros estão mais perto (em termos de desempenho) uns dos outros e o número de ultrapassagens será maior." O dirigente acredita que os dois treinos anteriores ao de classificação serão importantes não só para determinar se a pré-temporada foi bem feita como também o acerto do carro para a corrida domingo.

MUDANÇAS

Andretti conta que já conhecia São Paulo. "Corri aqui em 1993, pela Fórmula 1. Estou espantado. A cidade mudou muito", diz o dirigente, que na ocasião era colega de Ayrton Senna na McLaren. Ele espera que a motivação da torcida seja a mesma. "As pessoas aqui gostam muito de automobilismo."

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.