Anelka ofende técnico e é mandado de volta para casa

Atacante diz que houve discussão, mas nega xingamentos. Presidente Sarkozy classificou ato do jogador de 'inaceitável'

Andrei Netto, O Estado de S.Paulo

20 de junho de 2010 | 00h00

A crise da seleção francesa deixou ontem os limites do esporte e se tornou um problema de Estado. Ofensas pesadas supostamente feitas pelo atacante Nicolas Anelka ao treinador Raymond Domenech, reveladas em manchete de capa pela edição de sábado do jornal L"Équipe, levaram a Federação Francesa de Futebol (FFF) a expulsar o jogador, que atua pelo Chelsea, do grupo que disputa o Mundial da África do Sul.

Questionado sobre o futuro de Anelka na seleção, o presidente da FFF, Jean-Pierre Escalettes, disse que "o corte de uma Copa do Mundo já é uma punição muito dura", indicando que o atacante pode voltar a defender os azuis após o Mundial.

Segundo a reportagem do L"Équipe, no intervalo do último jogo da França, quando os azuis empatavam por 0 a 0 com o México, Domenech teria pedido ao atacante para se reposicionar em campo, jogando mais pelo meio do ataque. Um princípio de divergência teria acontecido, e, diante da ameaça de ser substituído, Anelka teria respondido: "Vá tomar no c..., filho da p... sujo!". O xingamento talvez seja o mais agressivo da língua francesa.

Antes mesmo da revelação do texto pelo L"Équipe, Anelka teria querido participar de uma entrevista coletiva da seleção francesa em sua concentração, mas o pedido lhe foi negado pelos dirigentes da FFF. Contudo, Patrice Evra, capitão da equipe, declarou haver um "traidor" no grupo de jogadores da França.

Sarkozy. A reação à reportagem do jornal esportivo foi imediata. Em rádios, TVs e jornais, desportistas, comentarias e políticos pediram a exclusão do jogador. Até o presidente Nicolas Sarkozy manifestou-se em viagem a Moscou, classificando as declarações atribuídas a Anelka de "inaceitáveis".

Diante da pressão esportiva e política, a FFF anunciou ontem, por volta das 15 horas (10 horas de Brasília), a exclusão de Anelka da Copa. O jogador já teria iniciado o retorno a Paris, e não disputará o último jogo da equipe, contra a África do Sul. Com um ponto em dois jogos, a seleção francesa ainda alimenta escassas esperanças de se classificar às oitavas. Precisa vencer os anfitriões por bom saldo de gols e torcer para que haja um vitorioso no duelo Uruguai x México.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.