Anemia é comum entre maratonistas

A ex-cortadora de cana, Maria Zeferina Baldaia, campeã da São Silvestre, em 2001 e terceira colocada na última edição, ainda não se recuperou da anemia profunda que a deixou afastada por sete meses das principais provas de rua e vai correr nesta quarta-feira para tentar um lugar no pódio. "O tratamento está sendo feito com uma boa alimentação e menos intensidade nos treinos, que são alternados com corridas na água e ciclismo", conta Henrique Viana, fisiologista do esporte e técnico de Zeferina. O médico explica que 100% das mulheres sofrem de anemia por razões fisiológicas (na menstruação há perda de ferro). Este quadro de anemia é ainda mais comum em atletas de longa distância. "Isso porque o impacto dos pés durante a corrida destrói as hemáceas." Nos homens, os casos de anemia chegam a 60%, segundo o médico. "O organismo do atleta acaba se adaptando e nem sempre os atletas resolvem completamente o problema."

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.