Anemia também debilitou Zeferina

Depois de sete meses afastada das provas de rua em razão de anemia profunda e ?overtraining? ? quando o atleta acaba doente por desgaste físico e descanso insuficiente ? Maria Zeferina Baldaia não está recuperada totalmente da doença para voltar nesta quarta-feira à São Silvestre. ?Sei que o desgaste da prova pode agravar a anemia, mas estou preparada para fazer o meu melhor. Espero ficar entre as cinco primeiras?, disse Maria Zeferina, que tentará no ano que vem índice olímpico na maratona, em Atenas. Os sintomas da anemia surgiram antes da última edição da prova, que terminou em terceiro lugar. Mas Zeferina não sabia o que era. ?Nunca havia feito um exame completo de sangue e tomei um susto quando o médico disse que teria de ficar afastada por uns meses.? ?O meu ex-técnico (Cláudio Ribeiro) havia feito exames antes da prova, mas não me contou do problema. Só fiquei sabendo em janeiro, quando resolvi mudar de técnico. Procurei o doutor Henrique Viana, que hoje é meu técnico.? Para recuperação da atleta, Viana modificou a alimentação da atleta e acrescentou bastante carne vermelha, frutas cítricas e beterraba. Além disso, diminuiu a intensidade dos treinos, com corridas dentro d´água e ciclismo. ?A anemia em atletas de longa distância é comum, por isso, a prova não irá prejudicar o rendimento da atleta, porque ela não parou de treinar?, disse Viana.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.