Informação para você ler, ouvir, assistir, dialogar e compartilhar!
Estadão Digital
Apenas R$99,90/ano
APENAS R$99,90/ANO APROVEITE

Ano novo, futebol velho no Palmeiras: 0 a 0 no Pacaembu

Time repete os erros do ano passado, joga mal e apenas empata com o Botafogo em casa. No fim, torcida protesta

Daniel Akstein Batista, O Estado de S.Paulo

16 de janeiro de 2011 | 00h00

O Palmeiras 2011 ainda é a cara do de 2010. Jogadores iguais, os mesmos erros e as mesmas dificuldades. No vazio Pacaembu, o time estreou no Estadual contra o Botafogo com um empate sem gols. No fim, os 7 mil torcedores protestaram: "Queremos jogador!", gritaram.

Luiz Felipe Scolari havia avisado no dia anterior que o diferencial da equipe seriam os "jogadores com fome". Explicando: os atletas palmeirenses estão com vontade de se firmar na equipe. Mas quem jogou ontem foram velhos conhecidos da torcida. Os reforços só começaram a chegar na semana passada e ainda precisam de ritmo.

Mesmo com uma equipe que já se conhece bem, faltou sintonia entre os atletas. Em um dos primeiros lances do jogo, o zagueiro Danilo e o goleiro Deola não se entenderam e por pouco o Botafogo não marcou - Dirceu chutou para fora.

Os desfalques de 2011 também foram os mesmos do ano passado. Marcos e Valdivia não jogaram e, sem o chileno, o Palmeiras perdeu qualidade na armação. Lincoln, o substituto, não conseguiu fazer o trabalho.

Tinga ganhou a responsabilidade de buscar as jogadas de ataque e foi o melhor do time. Mas os poucos lances de gol saíram mesmo com Kleber, que muitas vezes atua mais como um ponta, e Marcos Assunção, o cobrador de faltas, escanteios e autor de quase todos os cruzamentos.

A partida da noite de ontem serviu para Felipão perceber que sem Gabriel Silva, no Peru com a seleção sub-20, há uma carência na lateral-esquerda. Por mais que tente, Rivaldo não consegue assustar o rival. E pela direita Vítor também não foi eficiente.

Ainda é cedo para analisar qualquer time na temporada, mas a torcida alviverde está preocupada. Felipão pede tempo, afinal, o time ideal não é o que entrou no gramado do Pacaembu. Ele ficou assustado com a atuação da defesa - o Botafogo ganhou a maioria das bola alçadas na área - e com a falta de qualidade no meio. Falta alguém que crie e finalize as jogadas.

Com um Botafogo que mais se preocupou com a marcação - e quando arriscou no ataque também mostrou ineficiência -, o empate foi o mais justo para os dois. Na próxima rodada, quinta-feira, o Palmeiras visita o Ituano em busca da primeira vitória, ainda sem Marcos e Valdivia, e, assim esperam os torcedores, com um pouco mais de inspiração e qualidade.

Reforço. O clube anunciou ontem a contratação do volante João Vitor, ex-Grêmio Prudente, por dois anos. Ele deve ser apresentado amanhã.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.