Anônimos mostram originalidade na Paulista

Seja para ganhar um pouco de atenção das câmeras de TV, passar mensagens diversas ou simplesmente se divertir, o negócio era ser original antes da largada da corrida de São Silvestre. Um passeio de duas quadras na Avenida Paulista era suficiente para encontrar personagens dos mais inusitados, mais conhecidos como "peças raras". No caso de Manoel da Silva, o Zaguinha, ser diferente virou profissão e a corrida mais um trabalho. "Sou garoto propaganda da empresa Dal Ponte e já participei de vários programas de televisão", dizia com orgulho o corredor, que participa de sua sétima São Silvestre. Sua perícia nas embaixadinhas aliada a sua figura com apenas metade do rosto barbeada (inclusive na foto da carteira de identidade), se transformaram em ganha-pão e brincadeiras. "A mulher que gosta de homem de barba beija deste lado e a que gosta dos barbeados do outro." Outra figura tradicional da São Silvestre é o mensageiro Eliel Paim, que correu vestido de noiva pelo sexto ano, sem se incomodar com as brincadeiras que isso rende. "Quando vou trabalhar no dia seguinte me perguntam se eu encontrei o noivo." O objetivo, segundo ele, é ganhar os cinco segundos de fama que podem ser oferecidos pelas emissoras de TV que transmitem a corrida. O caso é o mesmo da assistente Leonídia Rodrigues, vestida de Emília. Já para o trio formado pelo professor Michael Pedro, fantasiado de Osama Bin Laden, o estudante Rafael Francisco, de Sadam Hussein e Fábio Moreira, de George Bush, a idéia foi se divertir e passar uma mensagem. "Pelo menos aqui os três podem ficar juntos na paz." Mas tem quem se divirta mesmo sem fantasia. Sob o sol escaldante da Paulista, a funcionária pública Emília Cristina de Araújo não perdeu o bom humor enquanto esperava para ganhar o "dinheiro das cervejas do ano-novo" entregando copos d´água aos corredores. Aproveitava o tempo para avaliar os corredores que passavam e sua alegria animava as colegas. "Homem bonito não tem muito, mas tem alguns com umas pernas maravilhosas", comentava, garantindo que não tinha a menor intenção de abdicar do estado civil de solteira.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.