Antes do jogo Palmeiras x Coritiba: brigas, bombas e arrastão

Dezenas de torcedores saíram feridos, entre eles crianças e idosos. Policial também se machucou

Daniel Akstein Batista, O Estado de S.Paulo

06 de julho de 2012 | 03h04

BARUERI - As cenas de violência entre torcedores e a Polícia Militar (PM) que ocorrem na decisão da Copa Libertadores, entre Corinthians e Boca Juniors, quarta-feira à noite, no Pacaembu, se repetiram nesta quinta à noite, em Barueri, antes do primeiro jogo decisivo entre Palmeiras e Coritiba, pela Copa do Brasil.

Por volta das 20h30, os portões de entrada da Arena Barueri foram fechados, pois muitos torcedores - talvez, sem ingresso - tentavam invadir o estádio. Começou um empurra-empurra intenso entre os torcedores, que , revoltados, começaram a atirar copos de cerveja e todo tipo de objetos sobre os responsáveis por controlar o acesso às catracas.

Alguns torcedores teriam trocado os ingressos do jogo da semifinal com o Grêmio para a partida desta quinta e não teriam conseguido entrar no estádio.

A PM foi acionada para acabar com o incidente, mas a situação ficou ainda pior. Os torcedores partiram para o confronto direto. Um clima de guerra tomou conta das imediações do estádio. Bombas de efeito moral, tiros de balas de borracha e cassetetes foram bastante utilizados dos policiais. Muitos deles estavam a cavalo.

Os torcedores respondiam com garrafas, pedras e pedaços de madeira. Dezenas saíram feridos, entre eles crianças e idosos. Um policial também se machucou com gravidade.

Mesmo com o ingresso na mão, muitos deixaram de tentar entrar no estádio e acabaram indo assistir ao jogo nas padarias que ficam próximas à Arena.

A impressão é de que ingressos falsos foram negociados, pois quando a briga teve início o estádio já estava repleto, com seus 30 mil lugares tomados pelas torcidas de Palmeiras (26 mil) e Coritiba (4 mil).

A imprensa também foi alvo. Carros da TV Globo, Bandeirantes e Record foram destruídos. Com o trânsito intenso na Castelo Branco, a caminho de Barueri, vários carros de torcedores foram assaltados por bandidos em motos.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.