Ao som de frevo, nado sincronizado é bronze

Dupla brasileira teve aulas com Carlinhos de Jesus

Michel Castellar, O Estadao de S.Paulo

07 de julho de 2028 | 00h00

Ao som do frevo, o dueto brasileiro de nado sincronizado levou o bronze ontem, no Parque Aquático Maria Lenk. E, para dançarem o tradicional ritmo pernambucano dentro d?água, Caroline Hildebrandt e Lara Teixeira receberam uma ajudinha extra: o coreógrafo e dançarino Carlinhos de Jesus, que ensinou os passos e ajudou na coreografia.A música empolgou a torcida, que acompanhou toda a apresentação batendo palmas. Antes de caírem n?água, Carolina e Lara se posicionaram à borda da piscina e simularam a conhecida dança das sombrinhas, que se prolongou para dentro da piscina. O primeiro lugar foi das americanas Andréa Nott e Christina Jones, 96.500, e a medalha de prata ficou com as canadenses Gagnon Boudreau e Isabelle Rampling, 95.833.As brasileiras não esconderam a felicidade. Além de subir ao pódio, elas elevaram sua pontuação acima dos 90 pontos - terminaram com 91.166, além de igualarem o resultado obtido pelas irmãs Carolina e Isabela Moraes, em Santo Domingo. "Dançar fora d?água já foi difícil, dentro era mais ainda. E terminou tudo perfeito", festejou Lara, que teve aulas de frevo por um mês e meio, ao lado de Caroline, com Carlinhos.Nas arquibancadas, o coreógrafo, que costuma emocionar o público no carnaval na comissão de frente da Mangueira, comandou a festa. Emocionado, ao lado de parentes e amigos do dueto, ele dançou com a sombrinha colorida nas mãos, enquanto Carolina e Lara se exibiam."Estou emocionado porque é a minha primeira medalha no Pan. Fui só a cerejinha de um bolo que estava pronto", brincou Carlinhos. "Minha maior preocupação era conciliar o frevo, que requer base, chão, impulso e não sabia como isto funcionaria na água." Ele disse não ter tido problemas para ensinar os passos às brasileiras, que chamou de disciplinadas. "Queria ter 15 Carolines e Laras na comissão de frente da Mangueira: estaria feito", afirmou.Satisfeitas com a exibição, as atletas frisaram que o próximo objetivo é a classificação para a Olimpíada. No total, serão 24 duetos. China, por ser a sede, e EUA, pelo ouro conquistado ontem, já asseguraram seus lugares. "Precisamos melhorar, por isso, vamos treinar. O segredo de todo o esporte é treinamento e trabalho", disse Caroline. Hoje, as duas voltam a se apresentar na final da competição por equipes.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.