Divulgação
Divulgação

Aos 17, 'novo Matheus Santana' entra no top30 do ranking mundial

Felipe Ribeiro seria 3º no Maria Lenk com tempo em Sul-Americano

Estadão Conteúdo

17 de abril de 2015 | 14h57

Agora integrante da seleção brasileira de natação, Matheus Santana se acostumou a crescer batendo os recorde que eram de Cesar Cielo, categoria após categoria. Aos 19 anos, Matheus já está superado por um colega de treinos. Na quinta-feira à noite, Felipe Ribeiro, de 17 anos recém-completados, venceu os 100 metros livre no Campeonato Sul-Americano Juvenil de Natação com incríveis 49s16.

Como comparação, no ano em que completou 17 anos (2013), Matheus Santana fez 49s21 como melhor tempo, ficando em quinto no ranking brasileiro. Na temporada seguinte, Matheus bateu pela primeira vez o recorde mundial júnior e fechou o ano no oitavo lugar do ranking mundial, quase um segundo mais rápido (48s25).

Agora, Felipe começa a temporada em que completou 17 anos com 49s16, baixando em 0s77 o melhor tempo da sua carreira e superando a marca que Matheus tinha com a mesma idade. O tempo feito no Sul-Americano o deixaria no terceiro lugar no Troféu Maria Lenk, na semana passada, e só não o coloca como segundo reserva do Mundial adulto de Kazan (Rússia) porque o período de obtenção de índices já acabou.

"Antes, meu melhor tempo era 49s93, baixei quase um segundo, mas não sei como, porque a preparação foi para o (Troféu) Maria Lenk. Esperava nadar para 50 segundos, mas sempre nado para dar o meu melhor. Eu estava no meu dia e deu tudo certo. Sinto que todas as viagens internacionais defendendo o Brasil me ajudam a ter a experiência necessária", comentou Felipe.

O garoto treina na Unisanta, na equipe do técnico Marcio Latuf, que também trabalha com Matheus Santana. Com a marca desta quinta-feira, Felipe já é o número 28 do ranking mundial adulto. Se repetir o crescimento que Matheus teve entre os 17 e os 18 anos, chega em 2016 como candidato a finalista olímpico.

Tudo o que sabemos sobre:
nataçãoFelipe Ribeiro

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.