Aos 44 anos, Simon se prepara para o terceiro Mundial

Gaúcho nascido na cidade de Braga, Carlos Eugênio Simon, aos 44 anos, se prepara para trabalhar na terceira Copa do Mundo consecutiva. Ele apitou dois jogos no Mundial da Ásia, em 2002. Dois empates: Inglaterra 1 x 1 Suécia e Itália 1 x 1 México. Quatro anos depois, na Alemanha, Simon trabalhou em três partidas: Itália 2 x 0 Gana, Espanha 3 x 1 Tunísia e Alemanha 2 x 0 Suécia (oitavas de final).

, O Estado de S.Paulo

30 de abril de 2010 | 00h00

Para que Simon alcance a final da Copa do Mundo da África do Sul a seleção brasileira deverá fracassar, pois um juiz não pode trabalhar no jogo em que a seleção de seu país esteja em ação.

Em 1982, na Copa do Mundo da Espanha, a seleção fracassou diante da Itália, mas Arnaldo Cesar Coelho colocou seu nome na história, ao se tornar o primeiro brasileiro a apitar uma final. Ele comandou o jogo no qual os italianos venceram os alemães por 3 a 1 e se sagraram tricampeões.

No México, em 1986, Romualdo Arpi Filho foi quem apitou a decisão entre Argentina e Alemanha, vencida pelos sul-americanos por 3 a 2.

Em 1990, na Itália, José Roberto Wright não teve a mesma sorte. Apesar de ter obtido boas avaliações durante seus trabalhos, o carioca foi escolhido para estar na semifinal entre Alemanha e Inglaterra, que terminou empatada por 1 a 1. Os alemães conquistaram a vaga na disputa de pênaltis. / W.B.Jr.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.