Aos 98 anos, Santos reverencia Neymar

Astro faz 5 gols e, ao lado de Robinho e Cia, humilha o Guarani (8 a 1), no dia do aniversário do clube

Bruno Deiro, O Estado de S.Paulo

15 de abril de 2010 | 00h00

No dia em que o Santos comemorava 98 anos, os Meninos da Vila mais uma vez fizeram a torcida relembrar a época dourada do clube, de Pelé, Coutinho, Pepe e companhia. Neymar, em noite inspirada, marcou cinco na goleada por 8 a 1 sobre o Guarani, que colocou o time nas quartas de final da Copa do Brasil e tornou o jogo de volta, em Campinas, uma mera formalidade.

O Santos atacou do primeiro ao último minuto e mostrou que a fome de gols dos garotos é, realmente, insaciável. Jogadas rápidas, dribles, passes geniais. Neymar, Paulo Henrique Ganso e Robinho ? que marcou dois ? comandaram o espetáculo na Vila. Com menos de 9 mil, o show não teve público à altura.

Recém-promovido à Série A do Campeonato Brasileiro, o Guarani levou gol no início e teve um expulso antes do intervalo, mas mostrou que precisa de melhorar muito para evitar o retorno imediato à Segunda Divisão. Recentemente, a equipe evitou a muito custo a queda para a Série A3 no Estadual.

"É impressionante o que eles fazem, ficamos até felizes de jogar ao lado deles", disse o zagueiro Edu Dracena. Robinho, no entanto, usa sua experiência para tentar acalmar os ânimos. "O time mostrou mais uma vez seriedade e humildade. Mas não ganhamos nada ainda."

Diante antigos craques como Pepe, Edu e Clodoaldo, presentes ontem na Vila, o jovem time santista não perdeu o ímpeto mesmo após ter feito quatro no primeiro tempo. "A gente não planeja (as goleadas). O respeito que a gente tem é jogar com humildade e buscar sempre botar a bola na rede", disse Paulo Henrique Ganso, que elogiou os cinco gols do amigo Neymar. "Mas espero que não falte lá na frente."

Mesmo abatido, o Guarani deixou o campo resignado com a superioridade do rival. "Sabemos que é praticamente impossível reverter, mas vamos entrar com dignidade no Brinco de Ouro e dar uma vitória para nossa torcida", disse Moreno, autor do gol de honra dos visitantes. Para o goleiro Juliano, do Guarani, a noite de ontem foi inédita. "Nunca tinha tomado oito, mas o Santos está de parabéns."

O inferno para o time de Campinas começou com 64 segundos de jogo, quando Arouca sofreu pênalti. Neymar bateu, com paradinha, para abrir o placar ? na comemoração, bonés na cabeça em homenagem ao rapper Mano Brown. Mas a marca estampada de uma empresa pode causar problemas aos garotos que, involuntariamente ou não, fizeram propaganda não-autorizada.

Neymar fez outros dois antes do intervalo. Com a camisa de número 200, em referência à quantidade de jogos pelo clube, Robinho também deixou o seu. Aos 44, irritado com a goleada, Cléber Goiano perdeu a cabeça e foi expulso após forte entrada em Neymar. "Esse é o futebol alegre, quem fica bravo acaba batendo", disse o camisa 11 do Santos.

Após o intervalo, o time santista manteve o ritmo e fez mais quatro. Marcel e Robinho marcaram e o Guarani fez o de honra com Moreno em uma bela cobrança de falta. Mas a estrela da noite foi mesmo Neymar, que fez mais dois no fim e fechou a noite memorável com cinco gols. O atacante alcançou nove na Copa do Brasil e se isolou na artilharia da competição.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.