Aplaudidos, Cuca e jogadores lembram de 'apito inimigo'

O empenho demonstrado pelos garotos do Palmeiras na derrota para o Cruzeiro, na última rodada do Campeonato Brasileiro, levou o técnico Cuca a uma constatação irônica em relação ao adversário de ontem. "O que o Palmeiras jogou hoje (ontem), o que lutou... Pena que não jogaram tão bem assim outros jogos, senão nós seríamos campeões", disse o treinador celeste, sugerindo que o esforço contra o Fluminense não teria sido tão grande.

Eduardo Kattah, Marcelo Portela SETE LAGOAS, O Estado de S.Paulo

06 de dezembro de 2010 | 00h00

Ainda no gramado da Arena do Jacaré, o atacante Thiago Ribeiro foi na mesma linha: "Todo mundo viu o que a meninada (do Palmeiras) jogou. Eu também acredito que, se tivessem mostrado 50% do que mostraram aqui, o Fluminense teria encontrado muito mais dificuldade do que encontrou." Destaque do Palmeiras na partida, o goleiro Bruno atribuiu a luta em campo à busca de um espaço em 2011. "A gente queria ganhar porque era a última chance de cada um no ano."

O conforto, para Thiago Ribeiro, foi que na última rodada o Cruzeiro conseguiu superar o Corinthians e garantiu vaga na fase de grupos da Libertadores do ano que vem. No vestiário celeste, o tema predominante voltou a ser a derrota para o alvinegro paulista na 35ª rodada e a polêmica atuação do juiz Sandro Meira Ricci. "Se a arbitragem não tivesse nos prejudicado, a situação seria outra. Mas ao menos passamos o Corinthians e nos classificamos direto para a Libertadores."

A possibilidade de o Cruzeiro conquistar pela segunda vez o título do Brasileiro deixou a torcida apreensiva, mas, no fim, ela reconheceu o esforço do time e gritou o nome de Cuca e dos jogadores. "Não vamos sair soltando foguetes, mas, intimamente, sabemos que fizemos um bom trabalho", disse o técnico.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.