Divulgação / NFL
Divulgação / NFL

Após 37 anos, Budweiser não investirá no intervalo do Super Bowl para apoiar vacinação contra covid

Empresa destinará o valor que seria utilizado na propaganda durante a partida para organizações que incentivam a vacinação contra o coronavírus

Redação, O Estado de S.Paulo

25 de janeiro de 2021 | 15h49

A Budweiser anunciou que não investirá em comercial de televisão neste ano durante o Super Bowl, a final do futebol americano. Será a primeira vez que a empresa não exibirá sua marca no evento em 37 anos. A Budweiser informou que o valor que seria pago pela propaganda será destinado a campanhas de incentivo à vacinação contra o coronavírus.

"Pela primeira vez em 37 anos, a Budweiser está abandonando seu icônico tempo de antena do Super Bowl e realocando o investimento na mídia para ajudar a apoiar a conscientização e educação sobre as vacinas contra a covid-19 por meio de vários esforços de marketing ao longo de 2021", anunciou.

A empresa vai doar o valor para as organizações AD Council e Covid Collaborative, que "estão liderando um grande esforço de comunicação para educar o público americano e aumentar a confiança em torno das vacinas".

Fora da propaganda na televisão, a Budweiser lançou um anúncio veiculado nas redes sociais que "celebra os atos individuais de resiliência que despertaram esperança durante um ano difícil". A empresa ainda diz que o "filme promete apoio crítico para a conscientização e educação sobre as vacinas contra a covid-19, à medida que nos aproximamos de um momento em que podemos reunir as pessoas novamente com segurança".

O Super Bowl será realizado no dia 7 de fevereiro. Os finalistas são Tampa Bay Buccaneers e Kansas City Chiefs. A partida será disputada no Raymond James Stadium, estádio dos Bucs. 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.