Após 6 meses, Wesley volta a treinar com bola no Palmeiras

Recuperado de grave lesão no joelho, volante participou de treino, mas não sabe quando poderá atuar em uma partida

PAULO GALDIERI, O Estado de S.Paulo

27 de setembro de 2012 | 03h05

A contratação de Wesley foi planejada para que o volante fosse o grande reforço do Palmeiras na temporada. Uma contusão séria tirou o jogador de ação e acabou com o sonho da diretoria. Agora Wesley pode finalmente ser o grande reforço. E num momento crítico para o time na temporada, a luta contra o rebaixamento no Brasileiro.

Quase seis meses depois de sofrer o rompimento do ligamento cruzado no joelho direito, Wesley voltou a treinar com bola, ontem. Pela primeira vez desde que iniciou a recuperação o jogador entrou em campo. Ele participou de um treino de dois toques com os companheiros. Correu, disputou a bola, fez movimentos bruscos, tudo normalmente, sem aparentar sentir dores.

Depois o volante complementou o trabalho do dia com uma sessão de treino de finalização, exigindo bastante da perna que fora lesionada.

A aparição de Wesley em campo para treinar com bola está dentro do cronograma estimado para a recuperação e levanta esperança de que ele possa participar de pelo menos alguns jogos em novembro, quando o Brasileiro estiver nas suas rodadas finais.

Entretanto, há a preocupação da comissão técnica e dos médicos do Palmeiras de não estipular prazos para o retorno do jogador, evitando uma expectativa exagerada que poderia ser frustrada.

"O retorno dele é gradativo. São muitos meses sem jogar e esse início dos treinos com bola vai acontecer aos poucos. Ainda existe um longo processo, e o retorno dele aos coletivos vai depender do momento em que ele também sentir confiança", explicou o médico Vinícius Martins. "No início de outubro, ele completa o sexto mês de recuperação. Não tem um prazo exato para definir o retorno dele. Vamos ver como vai se comportar para termos uma definição exata nas próximas semanas", disse o médico.

Mas só o fato de já ter voltado ao convívio com o elenco já parece ter feito bem ao time.

"A gente estava ali treinando junto e eu fui até ele, dei um abraço e falei: 'que bom que você está de volta aqui com a gente'", disse o goleiro Bruno. "Ele é um cara que passa muita alegria para a gente. Desde o primeiro dia que começou a recuperação, ele sempre está sorrindo. Fico feliz por ele estar voltando."

Cautela. Valdivia, Maikon Leite e Correa novamente não treinaram com bola. Os três jogadores ficaram na academia de musculação do CT fazendo trabalho de fortalecimento para prevenir lesões musculares. Contudo, eles deverão enfrentar a Ponte Preta, sábado à noite, no Pacaembu.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.