Grigory Dukor/REUTERS- 18/9/2011
Grigory Dukor/REUTERS- 18/9/2011

Após a derrota para a Rússia, Feijão deve substituir Mello

Apesar dos elogios ao tenista campineiro, técnico afirma que outros atletas deverão ter oportunidade

Giuliander Carpes, O Estado de S. Paulo

20 de setembro de 2011 | 09h28

KAZAN - O tênis brasileiro deverá manter o planejamento para a Copa Davis de 2012, embora tenha sido derrotado pela Rússia na repescagem do Grupo Mundial anteontem. "O resultado em Kazan era importante, mas a gente sabia que era difícil. Vimos, no entanto, que a equipe está evoluindo bastante, traçamos o caminho certo", afirma o capitão João Zwetsch.

Mas mesmo que tenha ficado a apenas um ponto de conquistar a vaga na elite contra uma das potências da modalidade, participação bem melhor do que nas recentes derrotas para Equador e Índia (em 2009 e 2010, respectivamente), as próximas convocações devem apresentar mudanças.

Há a tendência de João Souza, o Feijão, 87.º do ranking mundial, ser integrado à equipe com mais frequência. Ricardo Mello, que não criou dificuldades para Mikhail Youzhny (32.º do mundo) e fez apresentação por momentos equilibrada diante de Dmitry Tursunov (41.º), perde espaço com isso, pois caiu para 120.º da lista, passou a ser apenas o quarto melhor brasileiro do ranking e se encaminha para o final da carreira – completa 31 anos em dezembro.

O jogador de Campinas recebeu elogios de Zwetsch no confronto com a Rússia, embora tenha perdido as suas duas partidas. Já não é o preferido para compor a equipe quando os enfrentamentos são no saibro, como em julho, contra o Uruguai, em Montevidéu, quando ficou de fora. O próximo adversário do Brasil será definido amanhã, em sorteio em Bangcoc.

Experiente. "O Mello é um jogador que consegue endurecer partidas contra rivais mais fortes porque tem muita experiência. E temos outros jogadores aparecendo bem, finalmente", diz o capitão brasileiro. "O Feijão vem acumulando resultados muito bons, entrou no top 100, o Rogério Dutra da Silva (113.º do mundo) também. A tendência é eles crescerem e serem convocados mais vezes."

Zwetsch já parece bastante seguro com o papel de número 1 de Thomaz Bellucci. Ele venceu três dos quatro confrontos de Davis que disputou na temporada (um foi em duplas) e teve atuações destacadas em todas, principalmente na derrota diante de Mikhail Youzhny, anteontem, quando só cedeu o resultado no decisivo quinto set (14/12) em jogo que podia ter ido para qualquer um dos dois jogadores.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.