Alex Silva/Estadão
Alex Silva/Estadão

Após conflitos, novo protesto é marcado em Fortaleza

Manifestantes prometem se reunir novamente nesta quinta na Praça Portugal

Fernando Faro, Agência Estado

20 de junho de 2013 | 13h00

FORTALEZA - Parte das pessoas que participaram da manifestação que terminou em cenas de violência em Fortaleza, poucas horas antes do jogo entre Brasil e México, na Arena Castelão, pretende se reunir novamente nesta quinta-feira na Praça Portugal, às 16h30, para reclamar dos custos do transportes públicos.

O encontro foi marcado através do movimento Mais Pão, Menos Circo/Copa, que tem recebido uma série de apoios e confirmações. A ideia é mais uma vez reclamar também dos gastos excessivos com a Copa do Mundo, a falta de qualidade nos serviços básicos e a corrupção.

No entanto, algumas pessoas adotam um discurso de "revanche" contra a Polícia Militar após os confrontos da última quarta-feira em que o Batalhão de Choque teve que intervir para impedir o acesso dos manifestantes ao Castelão antes do jogo entre Brasil e México, pela segunda rodada do Grupo A da Copa das Confederações. Os conflitos só tiveram fim próximos ao fim da partida.

"Protesto pacífico com o Choque presente é impossível...se os manifestantes não começam, eles tomam a iniciativa de agredir pra dispersar...Revanche já!", disse um manifestante.

No entanto, o discurso principal tem sido pacífico e sem conflito com a polícia. Um internauta foi duramente repreendido ao sugerir que "todo mundo leve seus paus, pedras e coquetéis Molotov" para agredir os policiais militares e recebeu uma ameaça de denúncia se levasse o discurso à frente.

A Polícia Militar não sabia do novo protesto e foi pega de surpresa. Questionado pela reportagem sobre como seria feito o monitoramento, o Relações Públicas da corporação, Fernando Albano, admitiu desconhecer o assunto. "Estou sabendo disso por meio de você. Vamos averiguar essa situação e a partir daí vamos ver como proceder", disse.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.