Após demitir Gallo, Ponte confirma Eduardo Baptista como novo técnico

Como era evidente que a demissão de Alexandre Gallo iria resultar na contratação do técnico Eduardo Baptista, ex-Sport e Fluminense, a direção da Ponte Preta confirmou a troca cerca de duas horas depois de anunciar a saída do primeiro. Uma foto com profissionais do departamento profissional jantando com Baptista foi o estopim para a oficialização que deveria acontecer somente na segunda-feira.

Estadão Conteúdo

15 de abril de 2016 | 22h31

Baptista há muito tempo era o "sonho de consumo" da diretoria. Ele foi assediado, pela última vez, quando ainda dirigia o Fluminense durante o Campeonato Carioca. Mas não entregou o cargo, esperando ser demitido. Isso aconteceu, coincidentemente, uma semana após a contratação de Gallo, que livrou o time do rebaixamento no Campeonato Paulista. Além disso, teve um aproveitamento de 63% e ainda colocou o clube na segunda fase da Copa do Brasil.

Como a Ponte Preta vai ficar um mês sem disputar uma partida oficial - o próximo jogo será no próximo dia 15, contra o Figueirense, em Florianópolis (SC), pela primeira rodada do Brasileirão -, a diretoria alvinegra optou por mudar a comissão técnica, acreditando que o novo treinador vai ter tempo suficiente para "ajeitar a casa". Ele será o terceiro técnico só nesta temporada, pois o time começou o ano sob o comando de Vinícius Eutrópio.

NOVO PROFESSOR - Eduardo Baptista está sem clube desde que deixou o Fluminense no dia 25 de fevereiro. Ele é filho de Nelsinho Baptista, que atualmente dirige o Vissel Kobe, sexto colocado do Campeonato Japonês, e é o único técnico brasileiro na primeira divisão do país.

Na noite desta sexta-feira, Eduardo Baptista foi visto jantando em um restaurante de Campinas com o gerente de futebol Gustavo Bueno e o coordenador técnico Cristiano Nunes. "Estou muito feliz pela oportunidade e pelo desafio de comandar a Ponte Preta. Vamos trabalhar duro para fazer um ótima temporada", afirmou o treinador, que será apresentado oficialmente na próxima segunda-feira.

Natural de Campinas, Eduardo Baptista chegou a jogar nas categorias de base da Ponte, mas não se profissionalizou e se tornou preparador físico, passando por Goiás, Flamengo, São Caetano, Nagoya Grampus-JAP, Santos, São Caetano, pela própria Ponte, Corinthians, Sport, Kashiwa Reysol-JAP e Paulista.

Eduardo iniciou a carreira de treinador no Sport ao substituir de forma interina Geninho, em 2014. Efetivado, comandou o Leão da Ilha em quase 130 jogos, conquistando o Campeonato Pernambucano e a Copa do Nordeste. Em setembro de 2015, se transferiu para o Fluminense, no qual teve um aproveitamento de apenas 37%, com oito vitórias, cinco empates e 13 derrotas.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.