UFC/Divulgação
UFC/Divulgação

Após 'luta da noite', Pezão mantém o sonho de ganhar o cinturão do UFC

Brasileiro ainda se recupera da batalha contra Mark Hunt, que terminou empatada na Austrália

Paulo Favero, O Estado de S. Paulo

12 de dezembro de 2013 | 20h15

SÃO PAULO - O brasileiro Antônio Pezão ainda se recupera da batalha diante de Mark Hunt no último sábado, quando após cinco rounds equilibrados os juízes declararam empate majoritário naquela que foi declarada a "luta da noite". O resultado no evento na Austrália mostrou ao lutador do UFC que ele ainda está entre os melhores dos pesados. "Ainda estou meio cansado, me recuperando e aproveitando o convívio com a família. Mas estou muito feliz por ter proprocionado para os fãs uma grande luta, que todos querem ver e assistir", diz.

Ele ainda não abriu mão do sonho de conquistar o cinturão do UFC. Na única vez que esteve próximo, acabou sendo derrotado por Cain Velasquez - foi o segundo confronto entre os dois, ambos com derrotas do brasileiro. "Acho que está faltando sorte. Na minha primeira vez contra o Velasquez, ele fez uma boa estratégia, me colocou para baixo e venceu. Na segunda a gente não conseguiu lutar, eu estava apto para mais rounds e a luta foi parada. Não sei qual seria o resultado se o combate continuasse, mas muitos viram que absorvi os golpes contra o Hunt e continuei lutando bem. Quero apenas conseguir lutar", explica.

Pezão festeja o bom momento dos brasileiros na categoria dos pesados e confessa também que gostaria de poder lutar no País, com uma grande torcida a favor. "Seria muito bom lutar perto do povo, com a torcida maravilhosa que temos no Brasil, mas fica a critério do UFC decidir isso. De qualquer maneira, entre os pesados temos grandes representantes. O Werdum é o próximo a disputar o cinturão, tem o Cigano, o Napão está chegando com vontade... Fico muito feliz com isso e estou nessa fila para brigar pelo cinturão", conclui.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.