Após Mundial Indoor, brasileiros do atletismo ganham ouro no Chile

Augusto Dutra faturou a medalha de ouro no salto com vara

Nathalia Garcia, Enviado especial , Agência Estado

13 de março de 2014 | 15h17

SANTIAGO - Mesmo longe do salto de 5,65 metros que lhe deu o sétimo lugar no Mundial Indoor de Atletismo, em Sopot (Polônia), na semana passada, o brasileiro Augusto Dutra faturou a medalha de ouro no salto com vara nos Jogos Sul-Americanos. Observado nas arquibancadas do Estádio Nacional, em Santiago, pela atleta Fabiana Murer e pelo técnico Elson Miranda, ele precisou apenas de 5,40m para repetir a conquista de Medellín, em 2010, e ser bicampeão.

Ainda se recuperando de uma lesão no pé esquerdo, Augusto conta que precisou guerrear contra a dor para disputar a prova. A luta valeu a pena e agora festeja a nova medalha. "Gostei bastante, está um clima legal, o vento não está tão forte como achei que ia estar. Estou muito contente. Queria ter saltado mais, mas meu pé está doendo bastante e resolvi parar e fazer fisioterapia", afirma.

Já Thiago Braz não teve a mesma sorte que o compatriota. O atleta, dono do recorde sul-americano de 5,83 metros, errou todas as suas tentativas de salto e acabou zerado na prova. Apesar do péssimo resultado, ele não fica cabisbaixo. Os atletas voltaram do Mundial Indoor na Polônia na terça-feira, passaram apenas uma noite no Brasil e já embarcaram para Santiago na manhã de quarta. Ele avalia que não conseguiu vencer o cansaço. "Fico um pouco mais tranquilo por saber que era só o cansaço. Se fosse um erro técnico, seria um problema. Também não tem desculpa, mas está bom."

Ele também acredita que teve dificuldade para se concentrar na nova disputa em tão pouco tempo. "Depois do Mundial, deu uma baixada na bola. Parece que o objetivo já tinha sido cumprido e ali seria o ponto final. Mas tinha mais uma competição, era preciso se concentrar de novo e isso foi difícil para mim", explica.

OUTROS RESULTADOS

No salto em distância, o Brasil teve uma dobradinha no pódio. Keila Costa, que também acabou de voltar de Sopot, ficou com a medalha de ouro ao cravar 6,35 metros, e Jéssica Reis fez 6,32m para ficar com a prata. A equatoriana Yuliana Jama não chegou nem perto das rivais e, mesmo com 6,10m, levou o bronze. As outras competidoras não passaram dos seis metros.

Julio Cesar de Oliveira garantiu a prata para o Brasil no lançamento de dardo ao conseguir 75,98 metros. Essa foi a única medalha na modalidade, pois Paulo Henrique da Silva não atingiu a marca dos setenta metros e acabou em último lugar entre os nove participantes.

A pernambucana Érika Sena completou a prova dos 20 km da marcha atlética em 1h36min37s e conquistou o bronze. As medalhas de ouro e prata ficaram com as colombianas Sandra Campuzano e Sandra Gomez. O atleta Giovani dos Santos também fez a sua parte e faturou a parta nos 10 mil metros com o tempo de 28min53s90. No feminino, Tatiele de Carvalho fez 33min39s93 e terminou em terceiro. Na mesma prova, Adriana da Silva encerrou sua participação no último lugar.

Quem se encaminhou para o rumo das medalhas foi Anderson Henrique (45s57) e Hugo de Sousa (47s63). Os atletas se classificaram para a final dos 400 metros, que acontecerá nesta sexta-feira, às 13h20 (de Brasília). Os brasileiros fecharam o primeiro dia do atletismo nos Jogos Sul-Americanos com sete medalhas conquistadas.

Tudo o que sabemos sobre:
atletismoJogos Sul-Americanos

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.