Após ouro de Poliana, técnico pede apoio para projeto

Depois da medalha de ouro conquistada nesta terça-feira por Poliana Okimoto na prova da maratona aquática de 10km do Mundial, em Barcelona, o técnico Ricardo Cintra, que também é marido da nadadora, aproveitou o feito obtido pela nadadora para pedir apoio de patrocinadores para realização de um novo projeto social que carregue o próprio nome da atleta.

AE, Agência Estado

23 de julho de 2013 | 13h36

Assim como fez Poliana, o treinador agradeceu aos patrocinadores da nadadora e à Confederação Brasileira de Desportos Aquáticos (CBDA) pelo apoio que deram, mesmo após a decepção vivida no ano passado na maratona aquática de 10km dos Jogos de Londres, onde ela abandonou a prova com um quadro de hipotermia, frustrando as expectativas de uma boa participação da atleta. Cintra, porém, disse que o apoio não pode parar por aí e espera que o ouro obtido pela atleta sirva para ajudar a alavancar um futuro promissor para a própria natação brasileira.

"A Poliana já agradeceu, mas eu volto a agradecer, além da CBDA, ao Minas Tênis Clube, aos patrocinadores todos que continuaram conosco mesmo depois de Londres. Muitos não continuaram? Queremos agora arrumar um patrocínio para fazer um projeto social com o nome da Poliana. É hora de usar a natação para ajudar a resolver alguns problemas da infância e nós podemos fazer parte disso. Queremos ter uma piscina em que possamos treinar com mais tranquilidade e também levar adiante este sonho do projeto", ressaltou o técnico.

Antes disso, Cintra lembrou o drama que foi ver a sua esposa e pupila desistir da maratona aquática nos Jogos de Londres e chegar a desmaiar após ser resgatada na água com hipotermia. "Imagine que você é uma atleta olímpica e ser forçada a levantar o dedo e pedir pra sair de uma prova? Foi duríssimo. E preciso registrar uma coisa aqui. Naquele pior momento, um dos primeiros telefonemas que recebemos foi o do presidente da CBDA (Coaracy Nunes Filho) dizendo: ''Nada mudou. Eu acredito em vocês''. Acho importante falar isso porque na vitória tudo é fácil e não fossem todos os projetos que hoje existem nós não teríamos ganho esta medalha", enfatizou.

Para completar, o técnico ainda revelou que a contratação de dois novos profissionais também foram fundamentais para o triunfo de Poliana em Barcelona. "O processo de Londres também nos fez refletir e ver onde estávamos errando. E aí voltamos para perto da família, observei que estava faltando força a ela e contratamos um preparador físico que fez toda a diferença e uma nutricionista que resolveu os problemas da Poliana com intolerância a vários alimentos", disse.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.