Após polêmica, Blatter tira a TV do 4.º árbitro

A polêmica do pênalti marcado para o Brasil nos 4 a 3 sobre o Egito levou o presidente da Fifa, Joseph Blatter, a anunciar ontem que o quarto árbitro não vai ter mais a sua disposição um monitor de TV. O uso do aparelho é proibido nas regras da Fifa para tirar dúvidas em lances.A Fifa aceita a utilização do ponto eletrônico entre os árbitros. No lance do pênalti para o Brasil, Blatter disse que o bandeirinha avisou o juiz que a bola batera no braço do zagueiro egípcio. Ele havia marcado escanteio. Ontem, porém, o presidente, sem querer, deu a entender que o recurso da TV foi utilizado e o 4º árbitro teria avisado o juiz de seu equívoco.O dirigente também explicou por que estão sendo distribuídos ingressos gratuitamente para os sul-africanos na Copa das Confederações. "É um princípio da entidade prestar aos mais pobres solidariedade e demonstrar flexibilidade." Blatter, no entanto, afirmou que a gratuidade não vai ocorrer na Copa do Mundo, em 2010. O presidente se mostrou simpático ao barulho ensurdecedor dos torcedores locais com as cornetas (vuvuzelas, no dialeto zulu) nos estádios da África do Sul. Não quis deixar nenhum indício de que a Fifa poderá interferir para que os instrumentos sejam proibidos no Mundial e comentou que dançar, cantar e batucar são características dos sul-africanos.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.