Após provocar Atlético-MG, Mano ignora erro da arbitragem que ajudou Cruzeiro

Ao comentar a estreia com vitória no Campeonato Mineiro, há uma semana, Mano Menezes festejou que o triunfo sobre o Villa Nova havia sido "limpo", com um gol "certinho" e sem "pênalti duvidoso", numa clara referência ao pênalti bastante discutível no triunfo do Atlético-MG sobre o América de Teófilo Otoni um dia antes. Neste domingo, porém, foi o Cruzeiro que venceu o Tricordiano com um gol irregular. Ao receber a bola para fazer 2 a 1, aos 41 minutos do primeiro tempo, Ábila estava impedido.

Estadao Conteudo

06 Fevereiro 2017 | 08h38


E aí Mano Menezes mostrou não se importar se a vitória veio com gol limpo ou não. "O lance do impedimento é de computador, né? Mas eu respeito a sua opinião (do jornalista que fez a pergunta), se você achar que foi (impedimento). Os erros vão acontecer durante o campeonato", apontou.


Mano Menezes foi além e ainda reclamou que a arbitragem, que não viu impedimento de Ábila no gol decisivo, prejudicou o Cruzeiro. "Acho que a arbitragem não foi boa. Tivemos dois lances no primeiro tempo em que entraríamos na área para fazer o gol, e foi marcado impedimento. Essas coisa acontecem. Acontecem em outros jogos, e acontecem também o nosso", minimizou.


Ele também falou sobre o time e responsabilizou a falta de ritmo para o sufoco passado pelo seu time, escalado com reservas. "Penso que não foi falta de entrosamento, mas falta de ritmo mesmo. Fizemos um jogo parecido, um pouquinho abaixo do primeiro jogo que a outra equipe fez com o Villa Nova. Em determinados momentos faltou ritmo, as escolhas não foram tão boas. Mas tenho certeza que, logo na frente, se tiver que usar de novo, vamos estar melhor com esta equipe", disse o treinador.

Mais conteúdo sobre:
futebol

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.