Andrew Medichini/AP
Andrew Medichini/AP

Após Tyson Gay, Asafa Powell também admite doping

Apesar de admitir doping, velocista nega ter tomado substância por vontade própria

AE, Agência Estado

14 Julho 2013 | 16h05

SÃO PAULO - Depois do ciclismo, é a vez de o mundo do atletismo virar de cabeça para baixo por conta de casos de doping. Neste domingo, o norte-americano Tyson Gay revelou que foi pego num exame antidoping e decidiu se retirar voluntariamente das competições. De acordo com o jornal The Gleaner, cinco jamaicanos do alto escalão também caíram no doping. Um deles é Asafa Powell, que admitiu o caso.

Powell, segundo do ranking mundial dos 100m em 2013 (Gay é o primeiro), confirmou que testou positivo para oxilofrina, uma substância estimulante que faz parte da lista das proibidas pela Agência Mundial Antidoping. O seu empresário também confirmou que Sherone Simpson, integrante da equipe jamaicana feminina que foi medalhista de prata no revezamento 4x100m nos Jogos de Londres/2012, é outra da lista.

Em nota, Powell confirmou o doping e garantiu que "nunca tomei consumi sob o meu conhecimento ou minha vontade qualquer suplemento ou substância que quebre as regras. Eu não sou agora - nem nunca fui - um trapaceiro".

De acordo com comunicado, escrito em primeira pessoa e assinado por Powell, a equipe dele já iniciou uma investigação interna e vai cooperar com todas as investigações para descobrir como a substância entrou no seu corpo. Powell afirmou ainda que o resultado do teste o deixou "completamente devastado".

De acordo com o jornal jamaicano The Gleaner, foram reprovados em testes realizados durante as seletivas nacionais para o Mundial de Moscou cinco atletas. Desses, três são velocistas, sendo dois campeões olímpicos - casos de Powell, ouro no revezamento 4x100m em Londres e Simpson, integrante da equipe campeã da prova em Atenas/2004. Os outros dois casos são de atletas de provas de campo, mas os nomes não foram revelados.

Nas provas de velocidade, já são quatro casos confirmados em cerca de um mês. A jamaicana  Veronica Campbell-Brown testou positivo para um diurético em prova tirada em maio. Oitava mulher mais rápida da história nos 100m e bronze nos Jogos de Londres, ela está suspensa preventivamente.

Neste domingo, Tyson Gay admitiu ter sido reprovado num exame antidoping, sem informar qual substância proibida foi encontrada no seu organismo. O norte-americano tem os três melhores tempos de 2013 e é o segundo mais rápido da história, com os 9s69 feitos em 2009. Já Asafa Powell é o quarto deste ranking e foi o último recordista mundial antes de o posto ser assumido por Usain Bolt.

Mais conteúdo sobre:
atletismoAsafa Powelldoping

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.