Adalberto Valds/EFE
Adalberto Valds/EFE

Aposentado, Usain Bolt se encontra com presidente do Chile em Santiago

Ex-velocista participa de eventos pela América do Sul e ainda não desistiu de ser jogador de futebol

Redação, O Estado de S.Paulo

01 de abril de 2019 | 17h49

Usain Bolt se aposentou das competições de atletismo em 2017, mas continua em evidência como um dos maiores nomes da história do esporte. Nesta segunda-feira, o ex-velocista se reuniu com o presidente do Chile, Sebastián Piñera, na sede do governo do país, em Santiago, onde o jamaicano realiza uma das escalas de uma agenda publicitária que ele cumpre na América do Sul.

No encontro no Palácio de La Moneda, Bolt chegou a fazer o seu tradicional gesto do "raio", que ele protagonizava antes e depois das provas que ele disputava em sua gloriosa carreira. O recordista mundial dos 100m e dos 200m também posou para fotos ao lado de Piñera e da ministra do Esporte do Chile, Paulina Kantor, que também imitaram este gesto ao lado do homem mais rápido do mundo.

Durante a reunião com Bolt, o presidente chileno convidou o astro a participar do COP25, que é a Convenção do Clima das Nações Unidas, em dezembro, que ocorrerá no país sul-americano. Oito vezes campeão olímpico, o jamaicano chegou a Santiago para participar do festival de música Lollapalooza, que passará pela capital chilena no próximo final de semana.

No último domingo, Bolt foi visto no Parque O'Higgins, no centro de Santiago, onde serão realizados os shows deste tradicional festival. Fora das pistas de atletismo, das quais se aposentou após disputar o Mundial de 2017 da modalidade, o ex-velocista de 32 anos vem tentando iniciar uma improvável carreira profissional no futebol. No ano passado, ele realizou um período de testes pelo Central Coast Mariners, da Austrália, mas acabou não sendo contratado pelo clube.

Em novembro do ano passado, o presidente da Federação de Futebol da Jamaica (JFF, na sigla em inglês), Michael Ricketts, afirmou que Bolt teria chances de conquistar uma vaga na seleção do país, principalmente caso assinasse um contrato com um time profissional. Antes disso, em agosto, o astro chegou a atrair mais de 10 mil torcedores em um jogo pela equipe australiana. A atuação naquela partida foi suficiente para levantar o interesse do La Valetta, campeão de Malta, que lhe ofereceu um contrato de duas temporadas. Mas a proposta foi recusada pelo jamaicano.

Mais conteúdo sobre:
Usain BoltSebastián Piñera

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.