Aranha, o homem a ser superado pelo Palmeiras

Finalista, Ponte Preta tem vocação em formar grandes goleiros. Herói da classificação é discípulo de Carlos, titular da seleção na Copa de 1986

O Estadao de S.Paulo

21 de abril de 2008 | 00h00

O herói da classificação da Ponte Preta para a final do Campeonato Paulista preferiu não receber os louros da glória. O goleiro Aranha, de 27 anos, formado no Moisés Lucarelli, preferiu evitar as entrevistas após a vitória contra o Guaratinguetá, por 2 a 1, no sábado. Falou aos repórteres de campo, rumou para o vestiário e de lá saiu para o ônibus. Pediu à assessoria do clube para ficar em silêncio. ''Estou muito feliz. Isso é fruto de muito trabalho. Não existe mágica.'' Ele é o jogador a ser batido pelo Palmeiras na decisão estadual. Vote: quem vai ser campeão? Aranha mostrou ser a mais recente revelação de uma reconhecida escola de goleiros ponte-pretanos, que já teve o próprio técnico Sérgio Guedes e também Carlos, titular da seleção na Copa de 1986 e, atualmente, preparador de goleiros da equipe. ''O time tem referências e por isso forma grandes goleiros'', apontou o Guedes. ''E essa referência, para os nossos goleiros, é o Carlos. Eu sei que da maneira dele, tímido, tem falado coisas importantes.''Aliás, a excelente campanha do time campineiro no Paulista é, segundo Guedes, o resultado de uma valorização dos jogadores à história do clube, que em agosto completará 108 anos. ''Este é um momento importante do clube, porque está havendo um resgate de identidade.'' O atacante Wanderley, também revelado pela equipe e autor do 2º gol contra o Guará, confirma. ''Todos aqui se identificam com o clube e vestem verdadeiramente esta camisa.''DESFALQUESPara o jogo contra o Palmeiras, provavelmente no Moisés Lucarelli, no domingo, Sérgio Guedes não terá três atletas: o lateral Eduardo Arroz, o meia Renato e o zagueiro César, suspensos. ''Vocês não vão acreditar, mas já pensei no esquema para o próximo jogo enquanto tomava banho'', disse Guedes.A equipe campineira espera que a Federação Paulista confirme o jogo no estádio ponte-pretano - os locais da decisão serão definidos amanhã. ''Jogar no Moisés, diante de nossa torcida, é fundamental'', admite Wanderley.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.