Árbitro expulsa papagaio

Foi na Inglaterra. Ele imitava os assobios do seu apito

Livio Oricchio, com Daily Sport, São Paulo, O Estadao de S.Paulo

23 de janeiro de 2009 | 00h00

Gary Bailey, o árbitro, não compreendia a razão de os jogadores, das duas equipes, paralisarem o jogo a cada instante. Na realidade, ele próprio também ouvia, regularmente, um apito bastante similar ao seu, o que de fato poderia estar confundindo os atletas. Muito estranho.O Hertford Heath e o Hatfield Town se enfrentavam pelo Troféu Centenário Sênior de Futebol, ontem, na Inglaterra, quando no início do segundo tempo a partida acabou interrompida: Bailey dirigiu-se à arquibancada, bem próxima ao gramado, para identificar o engraçadinho que imitava seu apito. Qual não foi a sua surpresa ao compreender que o responsável era um papagaio.A fã de futebol Irene Kerrigan havia levado ao estádio o seu querido Me-Tu, papagaio senegalês de 9 anos de idade. Me-Tu parecia acompanhar com interesse o que se passava em campo, o que, associado a sua extraordinária capacidade de reproduzir as frequências sonoras que ouve, criou o maior caos no jogo."Expulsei pouca gente na minha carreira e nunca um papagaio", explicou Bailey. Isso mesmo: o árbitro mostrou o cartão vermelho para Me-Tu, expulsando-o do estádio. Sua dona, claro, teve de ir junto. A história foi publicada na edição de ontem do Daily Sport, de Londres. Mas houve protestos: "Se é permitido aos torcedores levar seus cães aos estádios, por que não um papagaio?", questionou o presidente do Hatfield Town, Ted Collie.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.