Argentina faz apostas modestas para o Pan

A Argentina caminha lentamente em sua preparação para os Jogos Pan-Americanos do Rio e deve deixar quase tudo para última hora. A definição das equipes ainda engatinha e o país sofre com a falta de renovação nos esportes, resultado das verbas limitadas que o Comitê Olímpico Argentino (Coarg) recebe para investir nos atletas e no intercâmbio internacional - quantia que oscila entre US$ 18 milhões e US$ 21 milhões.Uma coisa é praticamente certa: a maior atração do esporte do país na atualidade, a equipe de basquete que foi campeã mundial em 2002 e olímpica em Atenas-2004 (e possui vários atletas na NBA), não deve aparecer no Rio. Se os atletas da NBA se apresentarem à seleção, eles irão participar da preparação para o Pré-Olímpico de Las Vegas e o time B será o representante argentino no Pan. Mas não está descartada a possibilidade de a Argentina vir para o Brasil até com um time C - que, mesmo assim, não deverá fazer feio.Sem o basquete, as atenções estarão voltadas para outros esportes nos quais o país costuma se destacar, como o futebol, o hóquei sobre a grama, o ciclismo, a patinação, o atletismo e o tênis. No futebol, a Confederação Sul-Americana (Conmebol) ainda não definiu qual categoria participará da competição masculina - provavelmente a sub-17 -, mas a expectativa entre os torcedores é de que o time conquiste o bicampeonato. Nos Jogos de São Domingos, em 2003, a equipe derrotou na final o Brasil, que tinha jogadores conhecidos, como o atacante Vágner Love, ex-Palmeiras. Na natação, o desempenho de José Meolans, campeão pan-americano dos 100 metros, não entusiasma a imprensa argentina, que aposta mais em Georgina Bardach, vencedora da prova dos 400 metros quatro estilos em São Domingos e medalha de bronze na Olimpíada de Atenas.O ciclismo é um dos maiores exemplos da falta de renovação do esporte argentino. As esperanças do país estão depositadas na experiente dupla formada por Juan Curuchet, que já passou dos 40 anos, e Walter Pérez. Eles foram campeões na prova americana no último Pan.Assim como ocorreu no Brasil, a Argentina também deve lançar em breve um plano de incentivo ao esporte. A idéia é criar uma fundação que permita investimentos das empresas privadas, mas a perspectiva é de que a novidade só entre em vigor em abril, tempo insuficiente para influenciar na preparação do país para o Pan.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.