Argentina não brilha, mas passa fácil pela Bolívia

Triunfo por 3 a 0 mantém o time de Alfio Basile na liderança, com 100% de aproveitamento

O Estadao de S.Paulo

17 de novembro de 2007 | 00h00

Com menos brilhantismo do que se imaginava, a Argentina derrotou a Bolívia por 3 a 0, ontem, em Buenos Aires, e manteve os 100% de aproveitamento nas Eliminatórias para a Copa do Mundo de 2010, com três vitórias em três jogos. Extremamente ofensivo, com o trio Lionel Messi, Sergio Agüero e Carlitos Tevez, o time do técnico Alfio Basile manteve a liderança isolada da classificação sul-americana, com 9 pontos, mas não encantou os torcedores que lotaram o Estádio Monumental de Nuñez.Mais uma vez, a categoria de Juan Riquelme, que marcou dois gols - um deles de falta - fez a diferença. O triunfo argentino também marcou um recorde na carreira de Javier Zanetti: o argentino tornou-se o recordista de apresentações com a camisa alviceleste, com 116 jogos - um a mais do que Roberto Ayala, que já abandonou a seleção.O péssimo estado do gramado prejudicou o ataque argentino, que, aos poucos, conseguiu fazer tabelas e ameaçar Arias. O gol, porém, saiu apenas aos 40 minutos, em falha coletiva da zaga boliviana. Após a cobrança de escanteio, Tévez cruzou da esquerda, Demichelis escorou de cabeça e Agüero, debaixo do gol, tocou, também de cabeça, para as redes.Na etapa final, os donos da casa diminuíram o ritmo e criaram as melhores chances apenas nas cobranças de falta de Riquelme. Aos 16 minutos, o meia bateu o tiro com habitual precisão e ampliou o marcador. A vantagem no placar e a vitória praticamente assegurada tranqüilizaram os comandados de Alfio Basile, que começaram a tocar a bola. Aos 28, a habilidade argentina apareceu pela primeira vez no jogo. Messi arrancou com a bola dominada, da direita para a esquerda, e rolou para Riquelme, que acertou chute de primeira, no canto esquerdo de Arias.Com objetivo de poupar alguns de seus principais jogadores, Alfio Basile tirou Tevez e Agüero, para as entradas de Denis e Max Rodríguez. Mas o treinador ficou preocupado com a contusão sofrida por Cambiasso, substituído por Gago, depois de uma entrada violenta de Ronald Gutierrez. O volante é dúvida para o jogo contra a Colômbia, terça-feira, em Bogotá. Os bolivianos tentarão a primeira vitória nas Eliminatórias, diante da Venezuela, no mesmo dia, em San Cristóbal.COLÔMBIA 1 x 0 VENEZUELAO lateral Bustos foi o autor do gol que deu a primeira vitória para a Colômbia nas Eliminatórias, no Estádio El Campín, em Bogotá. Ainda que invicto na competição, o time colombiano sequer havia marcado um gol em ambos os jogos que tinha disputado - os dois pontos que somava vinham de um duplo 0 a 0, contra Brasil e Bolívia.Coube ao jogador do Grêmio, portanto, marcar o primeiro gol da sua seleção na disputa. E a vitória veio apenas aos 36 minutos do segundo tempo, em cobrança de falta. Tanto Colômbia quanto Venezuela fizeram uma primeira etapa sem emoções, embora ambas as equipes tenham sofrido pênaltis não marcados pelo árbitro chileno Rubén Selman.O técnico da Venezuela, Richard Páez, reclamou da atuação do juiz. Não mencionou o pênalti, mas falou que Selman marcou um número excessivo de faltas para os colombianos. "Ele marcou faltas de diferentes ângulos a favor da Colômbia e não dava nada para nós."

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.