Argentino Herrera sonha viver dia de Tevez

Receber na corrida, se livrar do marcador e estufar as redes de Marcos. O belo lance foi protagonizado por Tevez num Corinthians x Palmeiras em 2006. Bonito, plástico, mas anulado após muita reclamação (a arbitragem apontou falta do argentino). Repetir o compatriota e conquistar de vez o amor da torcida corintiana é o sonho de Herrera. Ele jamais fez gol em clássicos e acredita que, se repetir Tevez, tem tudo para nunca mais perder a posição."Não me sinto titular. Mas jogar bem num clássico desta grandeza, será importante para qualquer jogador." Herrera sabe que vai carregar um enorme peso com a ausência de Dentinho, Acosta e Finazzi. Será a referência ofensiva. Mesmo assim, evita a todo custo chamar para si a responsabilidade. "Gol é a coisa mais importante para o atacante. Para a torcida, contudo, não importa quem marque", discursa. "Vou manter meu jeito de jogar, correr muito, lutar, fazer o melhor para a equipe. No jogo, temos de procurar dar a bola ao jogador mais bem colocado." Foi assim no duelo com o Barras, do Piauí. Herrera ajeitou dois gols para Dentinho.Na seqüência, viveu seu dia de herói ao dar a vitória por 1 a 0 sobre a Portuguesa com gol de letra. Jogo que não considera um clássico. Para ele, marcar o nome na história do Corinthians é balançar as redes de São Paulo, Santos e Palmeiras, além de conquistar títulos. Esta tarde terá a primeira chance, já que não enfrentou o São Paulo.Além do Gre-Nal, no qual defendeu o tricolor gaúcho, Herrera já participou de vários clássicos, principalmente na Argentina. Torcedor do Rosario Central, não conseguiu dar a vitória ao time do coração num duelo com o Newell?s Old Boys. "Lutei muito, mas foi 1 a 1", lamenta. Também jogou pelo San Lorenzo contra o Boca Juniors e no Estudiantes contra o Gimnasia. Experiência em clássicos não vai faltar. Porém, sorte... Ele espera desencantar hoje.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.