Arouca faz 1º gol pelo Santos e se consagra

Volante quebra longo jejum: não balançava as redes desde 2008. De quebra. ajuda o time a ganhar o título paulista

Bruno Deiro, Fábio Hecico e Sanches Filho, O Estado de S.Paulo

16 de maio de 2011 | 00h00

SANTOS

O título do Santos veio com um gol improvável. O caminho da vitória foi aberto por Arouca, o seu primeiro pelo clube. Nos 65 jogos anteriores, o volante apareceu mais pela eficiência na marcação e na qualidade na passagem da bola da defesa para o ataque do que como jogador de boa chegada à área adversária. Ontem, finalmente, ele quebrou o jejum, e logo num jogo histórico.

Arouca não balançava as redes desde 2008. À época, ele ainda defendia o Fluminense, clube pelo qual atuou durante quatro anos e fez apenas nove gols, No São Paulo (em 2009), passou em branco. "Deus tinha me mostrado o caminho do gol", afirmou. Foi com essa frase que ele explicou a coincidência de o seu primeiro gol ter saído exatamente numa decisão. Na quinta-feira, o volante disse que tinha sonhado que o bicampeonato paulista seria conquistado com um gol seu.

"Sempre trabalhei forte, mas não sou um jogador de finalização. Hoje (ontem) deu tudo certo e por pouco não fiz o segundo. Foi uma pena a bola ir na trave".

O Santos já era o melhor em campo quando, aos 16 minutos do primeiro tempo, Léo avançou pelo meio e acionou Zé Eduardo. O atacante bateu cruzado e Arouca, dentro da área, enfiou o pé direito na bola e venceu o goleiro Júlio César. "O gol foi para a minha filha Valentina. Desde que ela nasceu em outubro que eu estava tentando marcar um gol. Ele veio na hora certa. Tive um ano complicado, repleto de lesões e agora fui abençoado com um gol em uma decisão. Tive boas passagens no Fluminense e no São Paulo, mas aqui no Santos já conquistei dois paulistas e uma Copa do Brasil. Não tenho do que reclamar."

O gol vai servir também para acabar com a especulações sobre possíveis sequelas que poderiam restar no seu relacionamento com Muricy. Foi o treinador que pediu a sua contratação, mas, no Morumbi, Arouca sofreu um retrocesso na carreira. Ele apareceu poucas vezes como titular e quase sempre na lateral. Ontem, o volante fez questão de elogiar o chefe. "A união dele com o nosso elenco, que é vencedor, só poderia dar em título.

Falcão na festa. O craque Falcão, do futsal, pegou carona na comemoração: "É bom demais estar no Santos e poder cumprimentar esses grandes jogadores. Me sinto parte do time."

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.