Arouca vira o xerife no meio-campo santista

Volante ganha confiança de Muricy para fazer o trabalho de marcação e espera contar com ajuda dos astros Neymar e Ganso

Sanches Filho, O Estado de S.Paulo

20 de abril de 2011 | 00h00

ESPECIAL PARA O ESTADO / SANTOS

Sobrou para Arouca o trabalho mais difícil do meio de campo santista no jogo contra o Deportivo Táchira, da Venezuela, hoje, às 19h30, no Pacaembu. Com a saída de Adriano para o retorno de Elano ao time, ele será o único volante de contenção. "Não muda muita coisa não. Com o Dorival eu joguei nessa função e agora vou voltar a atuar o nessa posição. Não vejo problema nenhum", disse o ex-volante do Fluminense e do São Paulo. "Para mim é tranquilo. Quando cheguei ao Santos, eu procurei me aprimorar como marcador e agora tanto posso jogar de um jeito como de outro. Contra o Cerro tive mais liberdade, mas agora vou voltar à antiga posição e tenho que ajudar a zaga", acrescentou.

Mesmo sendo teoricamente o único jogador de "pegada" no meio de campo, Arouca tem certeza de que não estará sozinho. Ele lembra a atuação histórica de Ganso na decisão do Campeonato Paulista, diante do Santo André, quando fechou os espaços no meio de campo, combateu e prendeu a bola. "O próprio Neymar volta para ajudar, porque gosta de estar sempre com a bola nos pés. Ainda mais agora que ele está voltando com vontade, porque sabe que errou ao usar a máscara e sentiu muito por ter ficado fora", disse Arouca.

Quando o Santos contratou Muricy ficou uma dúvida no ar. Como seria o reencontro do técnico que pouco escalou o volante nos tempos em que ambos trabalharam juntos no São Paulo (2009) e que, nas poucas oportunidades que deu a ele foram fora de posição, na lateral-direita. A resposta foi dada mais cedo do que se imaginava. Muricy demonstrou toda a sua confiança ao tirar do time o seu melhor jogador de marcação, passando a tarefa a Arouca. Além disso, após o jogo contra o Cerro, o técnico elogiou a atuação do camisa 5.

"O Adriano é importante para o time porque marca e deixa todos os outros jogadores do meio de campo jogarem, mas o Arouca tem características parecidas com as dele e foi muito bem na função com Dorival Júnior no ano passado", explicou Muricy.

Cenário. Vitória garante vaga ao Santos. Aliada a um empate no Chile, ainda dá o primeiro lugar aos brasileiros. Com empate, o time de Muricy terá de torcer para o Colo Colo ganhar do Cerro Porteño para se classificar em segundo. Até com derrota há a possibilidade de avanço dos santistas, desde que os chilenos goleiem. Se o Santos perder por um gol, os paraguaios têm de cair por cinco de diferença. E assim sucessivamente.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.