Arquibancadas móveis do Itaquerão vão custar R$ 35 milhões

Valor da obra para os 20 mil assentos será metade dos R$ 70 mi previstos inicialmente

Vítor Marques, O Estado de S.Paulo

28 de novembro de 2012 | 02h02

SÃO PAULO - O custo das arquibancadas móveis do Itaquerão será metade do previsto, informou nesta terça-feira o Governo do Estado em anúncio oficial feito no Palácio dos Bandeirantes. O investimento será de R$ 35 milhões, ante R$ 70 milhões de um orçamento inicial, para construção de cerca de 20 mil assentos móveis.

A ampliação temporária é necessária para que o estádio do Corinthians receba a partida inaugural da Copa de 2014. Os assentos se concentram nos setores sul e norte (atrás dos gols).

Conforme antecipado no domingo pela colunista do Estado Sonia Racy, a Ambev, a pedido do governador do Estado, decidiu bancar o projeto que amplia a capacidade do estádio de 47 mil lugares para 67 mil. "Sempre dissemos que não iríamos colocar dinheiro público para viabilizar esse investimento", disse o governador Geraldo Alckmin.

Segundo ele, a Ambev não receberá nenhum incentivo do governo. "A companhia tem forte ligação com o futebol", justificou Victorio de Marchi, co-presidente do Conselho de Administração da Ambev.

Quatro empresas estão sendo cotadas para a construção das arquibancadas móveis. Um leilão definirá a empresa. As arquibancadas serão alugadas e retiradas após o Mundial.

"Quantos jogos no ano faríamos para um público maior do que 50 mil pessoas?", questionou o vice-presidente do clube Luís Paulo Rosenberg. "E se quiséssemos ampliar o estádio não poderiam ser utilizadas arquibancadas provisórias, teriam de ser definitivas, e o custo disso seria bastante alto, algo em torno de R$ 150 milhões", afirmou.

Tudo o que sabemos sobre:
futebolCorinthiansCopa 2014Itaquerão

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.