Arsenal passa pelo favorito Barça: 2 a 1

Apoiado pela torcida, time inglês vence de virada e se aproxima das quartas de final. Shakhtar ganha da Roma, fora

, O Estado de S.Paulo

17 de fevereiro de 2011 | 00h00

O Arsenal conseguiu um feito desejado por todos. E o conquistou com todos os méritos. Na primeira partida das oitavas de final da Copa dos Campeões, recebeu e venceu o até então favorito Barcelona, por 2 a 1, de virada.

Lionel Messi tentava quebrar uma escrita, de nunca ter balançado as redes em gramados ingleses. Ontem, ele realizou sua nona partida na terra da Rainha e mais uma vez passou em branco. Mas não faltaram oportunidades - na primeira, ele jogou com categoria por cima do goleiro Szcesny e a bola caprichosamente foi para fora. Na outra, também sozinho, novamente chutou para fora.

A partida foi bastante disputada. O Arsenal tocava bem a bola - não tão bem quanto o rival - e chegou várias vezes na frente. Faltava, porém, o toque final.

Já o Barcelona construía as jogadas com facilidades, graças principalmente à habilidade de Messi. Um toque do argentino deixou Villa livre para fazer 1 a 0, aos 25 minutos.

O Arsenal não se deu por vencido e fez a torcida explodir no belo Emirates Stadium. Aos 33 da segunda etapa, Van Persie empatou. Cinco minutos depois Arshavin conseguiu a virada. No jogo de volta, pode empatar para avançar de fase.

A rodada da Copa dos Campeões ontem teve também brilho verde e amarelo. Em Roma, três brasileiros colocaram o Shakhtar Donetsk bem próximo das quartas de final. Apesar de jogar fora de casa, o time ucraniano levou vantagem e venceu por 3 a 2, de virada. Perrotta anotou o primeiro da Roma e, depois o também goleiro brasileiro Doni sofreu com o ataque rival: Jadson, Douglas Costa e Luiz Adriano garantiram o triunfo do Shakhtar. Menez descontou.

Arrependido. O volante Gattuso pediu desculpas por seu agressivo comportamento na derrota do Milan para o Tottenham, anteontem, por 1 a 0, em Milão. Além das várias faltas cometidas em campo, o atleta ainda partiu para cima de Joe Jordan, auxiliar-técnico do time inglês durante e após a partida. "Perdi a cabeça e assumo toda a responsabilidade porque fiz algo que não devia", falou o jogador.

A Uefa prometeu analisar o caso para saber se toma alguma medida contra Gattuso.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.