As melhores do ano decidem em NY

Como em 2012, Serena Williams e Victoria Azarenka vão decidir o US Open. Nesta temporada, a vantagem em finais é da bielorrussa: 2 a 1

NOVA YORK, O Estado de S.Paulo

08 de setembro de 2013 | 02h06

Pelo segundo ano consecutivo Serena Williams e Victoria Azarenka vão decidir o US Open. E, pela quarta vez no ano, americana e bielorrussa estarão em uma final. O jogo no Estádio Arthur Ashe, que começa após as 17h30 (de Brasília), coloca frente a frente, mais uma vez, as duas melhores tenistas da temporada.

Serena, número 1 do mundo, 31 anos, tem quatro títulos só em Flushing Meadows - no total, já ganhou 16 Grand Slams. Azarenka, 24 anos, vice-líder da WTA, tem dois Slams - é a atual bicampeã do Aberto da Austrália. Este ano, nas três decisões em que se encontraram, Azarenka leva a vantagem por ter vencido em Doha e Cincinnati. No geral, porém, Serena venceu 12 vezes em 15 jogos

A americana afirmou estar preparada para uma partida dura. "Nós sempre fazemos grandes jogos. Victoria é uma ótima tenista e cresce em quadra nos momentos decisivos." Mas sua campanha tem sido ótima no US Open: Serena perdeu apenas 16 games, sua melhor marca na história, nas seis partidas que disputou. Na temporada, aliás, só não saiu com a vitória em quatro de 65 jogos.

Após derrotar a italiana Flavia Pennetta na semifinal, Azarenka não conseguia conter a euforia. Pela quarta vez na carreira, era finalista de um Grand Slam. "Estou tão feliz, parece que estou ouvindo música. O caminho até a final foi longo."

A bielorrussa teve de lidar com a frustração em Wimbledon, quando foi obrigada a abandonar o torneio na segunda rodada - justamente no jogo contra Pennetta. Ela tinha sofrido uma lesão no joelho direito na estreia e não conseguiu se recuperar a tempo.

Na final do US Open da temporada passada, Azarenka quase conseguiu surpreender Serena. Ela perdeu o primeiro set, empatou o jogo, e na parcial decisiva só foi derrotada por 7/5. "Não penso muito nas partidas que se foram, porque a história sempre é diferente. Mas não quero imaginar que vai ser um placar tão apertado como o do ano passado."

Além da carreira cheia de títulos e das vitórias sem grandes dificuldades, Serena tem um fator a mais a seu favor: o apoio da torcida. Foi assim na semifinal de sexta-feira contra a chinesa Na Li. "Eu ouvia a todo momento 'Vai, Serena; vai, Serena.' Eram vozes de pessoas jovens, de pessoas mais velhas. Esse apoio é simplesmente incrível, faz com que eu me sinta muito especial."

O US Open é tão especial para Serena que rende homenagem até nos tênis. Contra Na Li, ela usou um calçado rosa e cinza com quatro pequenos coraçõezinhos na lateral. Dentro de deles, os números 99, 02, 08 e 12, anos de seus títulos.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.