Às pressas, Sheik e Guerrero buscam entrosamento

Atacantes correm contra o tempo para afinar a parceria no ataque do Corinthians antes do Mundial

DANIEL BATISTA, O Estado de S.Paulo

26 de novembro de 2012 | 02h07

CORINTHIANS. LEIA MAIS NOTÍCIAS NO

estadao.com.br/e/corinthians

Fazer Emerson e Guerrero se entenderem no ataque é o desafio de Tite restando apenas uma semana para o Corinthians embarcar para o Mundial. Os dois correm contra o tempo para conseguir o entrosamento ideal.

Depois de atuarem juntos por 16 minutos contra o Internacional, os dois jogaram como titulares pela primeira vez diante do Santos, no sábado. A parceria só não foi concretizada antes porque Emerson foi suspenso pelo STJD por cinco jogos após ofender a arbitragem e depois machucou o joelho direito.

Mas isso não deve ser problema, pelo menos para Emerson, que usa do bom humor para falar sobre a parceria com o peruano. "Vale lembrar que eu passo mais tempo com o Guerrero do que com a minha macaca, a Cuta", disse, lembrando de seu animal de estimação que faz sucesso quando aparece no CT do Parque Ecológico.

Mais sério, ele diz que os treinamentos têm ajudado bastante a dupla a se alinhar, mas reconhece que nada substitui as partidas. "Treinamos juntos todos os dias, então já existe um entrosamento. Mas é claro que jogar junto é bom para aperfeiçoar isso. Acredito que estamos no caminho certo", analisou.

Contra o São Paulo, no domingo, será a última oportunidade de os dois atuarem juntos em uma partida oficial antes do Mundial. Neste jogo, aliás, Tite deve escalar o time que vai estrear no Mundial, dia 12 de dezembro, contra adversário que ainda não foi definido.

Última dúvida. Hoje, o treinador divulga a lista dos 23 jogadores que vão para o Mundial. A ideia era que o anúncio fosse feito logo após o jogo de sábado, mas uma dúvida surgiu de última hora.

Tite não sabe se leva Anderson Polga como volante ou zagueiro. Caso o mantenha na defesa, o volante Willian Arão, de 20 anos, entra na lista. Se for como volante, quem aparece é o zagueiro Felipe, de 23.

"Com o Polga, a primeira bola defensiva fica bem montada. Fazia tempo que ele não jogava nessa posição. Ele é mais fixo na função. Se precisarmos de alguém que construa mais, temos o Guilherme", explicou o treinador, que testou o zagueiro no meio diante do Santos, mas Polga não fez teve boa atuação. Ausência praticamente certa na lista é o peruano Ramirez, que perdeu espaço e ainda se recupera de uma lesão na coxa esquerda.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.