Werther Santana/Estadão
Werther Santana/Estadão

Às vésperas da Libertadores, Corinthians dá sinal de que fôlego não está 100%

Contra São Caetano e Palmeiras, time só buscou empate depois que Tite colocou em campo a ala jovem

VÍTOR MARQUES, O Estado de S.Paulo

19 de fevereiro de 2013 | 02h04

SÃO PAULO - O Corinthians só reagiu e buscou o empate nos seus últimos dois jogos pelo Paulista após o técnico Tite 'injetar' sangue novo na equipe no segundo tempo. Foi assim nas partidas contra o São Caetano e Palmeiras - ambas terminaram 2 a 2.

É um sinal de que a equipe ainda não está com fôlego 100% devido ao atraso no início da pré-temporada - por causa do Mundial de clubes, os titulares só voltaram a jogar dia 30 de janeiro, na quarta rodada do Estadual.

Domingo contra o Palmeiras, Tite precisou sacar jogadores veteranos como Alessandro, Danilo e Guerrero e colocar em campo a ala jovem do time: Romarinho, Pato e Renato Augusto.

E é neste cenário de retomada da parte física que o Corinthians estreia nesta quarta-feira na Libertadores contra o San Jose, na Bolívia.

Apesar do empate no clássico, Tite não deu sinais de que vai mexer no time trocando jogadores ou mudando o esquema tático. Mas afirmou que gostaria de ouvir o departamento médico antes de definir o time.

Um dos motivos de tanta precaução é que o jogo será disputado na cidade de Oruro, a 3.700 metros do nível do mar.

Para amenizar os efeitos da altitude a comissão técnica decidiu que o time só chega a Oruro poucas horas antes da partida (22h horário brasileiro). Antes do jogo, o time fica concentrado em Cochabamba, cerca de 200 km de Oruro.

"Tive uma experiência igual em Potosí e as condições mudam mesmo, mas são dificuldades que a gente tem de estar preparado", afirmou Renato Augusto, que disputou duas Libertadores pelo Flamengo.

CHANCE DE JOGAR

Renato Augusto seria um dos cotados a entrar no time caso Tite decida mudar a equipe - ele poderia até entrar na vaga de Jorge Henrique. "Tenho respeito pelos jogadores que conquistaram o título (mundial), mas vim buscar meu espaço."

Independentemente de a equipe mudar ou não, Tite vai pedir aos jogadores que cadenciem mais o jogo e evitem lançamentos longos E o técnico também não quer saber de "acomodação" de alguns jogadores com a conquista do título mundial. O técnico exige a pegada da temporada passada. Segundo ele, os "reservas" estão sendo observados.

Tudo o que sabemos sobre:
CorinthiansfutebolCampeonato Paulista

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.