Às vésperas do Super Bowl, Warner é destaque no 'Media Day'

Estádio da decisão de domingo recebe evento e quarter-back do Arizona Cardinals é a grande estrela do dia

EFE,

28 de janeiro de 2009 | 18h16

O Raymond James Stadium, estádio do próximo Super Bowl, recebeu o chamado "Media Day", um dos principais eventos da semana que antecede a grande final do futebol americano e que teve como destaque o veterano Kurt Warner, quarter-back do Arizona Cardinals.Veja também:Cardinals e Steelers chegam otimistas ao Super BowlSe é necessário tirar conclusões de tudo o que disseram os jogadores do Cardinals e do Pittsburgh Steelers, que estiveram a disposição de imprensa durante cerca de uma hora dentro do campo para entrevistas e fotos, é que ambos estão muito felizes e esperam ganhar o Super Bowl.Porém, caso se busque saber algo sobre as estratégias que serão usadas em campo, se a relação dentro da equipe é boa, se têm contatos com os amigos comuns que há entre os próprios jogadores, nada foi falado.De qualquer maneira, o que atraiu a imprensa foram as grandes figuras de cada uma das equipes e os líderes que terão a responsabilidade máxima quando começar a partida no próximo domingo.Um deles é Kurt Warner, o mesmo que há quatro anos tinha problemas para encontrar equipe e agora chega pela terceira vez em sua carreira ao Super Bowl, o que o tornou a grande atração do dia.O educado e sempre positivo Warner voltou a lembrar os tempos nos quais trabalhava em um supermercado à noite, para depois chegar a ser escolhido o MVP (melhor jogador da decisão, na sigla em inglês) do Super Bowl pelo Saint Louis Rams.DESTAQUEWarner, de 37 anos, escreveu na atual temporada um dos capítulos mais surpreendentes com um rendimento que pode assegurar a ele um lugar no Hall da Fama da NFL, sobretudo se conseguir levar o Cardinals, equipe que até pouco tempo atrás era a grande perdedora da liga, a conseguir seu primeiro Super Bowl."Não importa o que vamos conseguir no próximo domingo, Kurt já demonstrou, com todo o merecimento, que é um dos melhores quarter-backs", declarou Ken Whisenhunt, técnico do Arizona.A história de Warner é baseada em uma fé profunda e em uma vontade contínua de dar o melhor de si como pessoa e como jogador de futebol americano."Minha ideia e filosofia de vida é deixar, de alguma maneira, minha marca nas pessoas e nesses lugares que conheci durante minha carreira", destacou Warner. "Isso é o que quero que seja meu legado, pois a questão do futebol é algo passageiro", acrescentou.Suas conquistas no campo impressionam inclusive seu principal adversário no domingo, o quarter-back "Big" Ben Roethlisberger, do Steelers."Ele teve que aguentar muitas coisas e conquistou muito. Gosto de vê-lo jogar, lança passes incríveis e sabem algo? Sinto um enorme respeito por ele e pela maneira como joga no esporte e se comporta como pessoa", ressaltou Big Ben.Warner teve que lutar também contra tudo na nova equipe, mas quatro anos depois está de novo no auge. Como pessoa, sempre foi respeitado, mas agora resgatou seu brilho também no campo profissional, independentemente do que acontecer no próximo domingo."Minha carreira nunca foi fácil, mas desfrutei dela mais do que ninguém porque em cada momento fui consciente de todo o trabalho e esforço que me custou", assinalou Warner."Agora chegou meu terceiro Super Bowl e o vivo com uma grande tranquilidade e confiança, só estou centrado no que tenho que fazer em campo", afirmou o veterano quarter-back do Cardinals.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.