Astros do basquete norte-americano dão show logo na estreia

Americanos venceram a França com folga, por 98 a 71; Espanha também confirmou o favoritismo contra a China

AMANDA ROMANELLI, ENVIADA ESPECIAL / LONDRES, O Estado de S.Paulo

30 de julho de 2012 | 03h04

Um jogo da seleção americana de basquete não é apenas um jogo. É um evento distinto de todo o resto da programação de um torneio, até mesmo de uma Olimpíada. Antes do início da partida, a polícia britânica realizou uma cuidadosa vistoria na Arena Olímpica, que tinha acabado de receber Brasil x Austrália. Enquanto os jogadores brasileiros atendiam a imprensa na zona mista, cachorros farejavam todos os cantos possíveis do caminho entre vestiário e quadra.

Boa parte da imprensa, ávida por acompanhar cada passo dos astros da NBA, ficou do lado de fora do ginásio, já que não havia lugar suficiente para todos. Na parte interna, a primeira-dama Michelle Obama tinha, claro, o seu lugar garantido. E, alheios a tudo isso, os americanos fizeram o esperado: atropelaram a França por 98 a 71, com direito a 22 pontos e nove rebotes do estreante Kevin Durant.

"Jogamos com atitude, brigando por cada bola, com uma defesa forte indo para cada rebote. É assim que conseguimos vencer adversários difíceis como a França", disse o ala, escolhido como o melhor jogador do Mundial da Turquia, disputado em 2010.

No início do confronto, os franceses até chegaram a surpreender pela capacidade de se manterem competitivos na partida. Perseguindo os americanos no placar, conseguiram terminar os dez primeiros minutos de jogo perdendo por apenas um ponto (22 a 21). Mas, a partir do segundo quarto, a superioridade dos campeões olímpicos e mundiais ficou evidente. E o jogo foi para o intervalo com o placar de 52 a 36.

A vantagem do time de LeBron James, Kobe Bryant e Carmelo Anthony só fez aumentar, chegando a 26 pontos ao final do terceiro período, mesmo com o técnico Mike Krzyzewski tendo de utilizar bastante o banco - Kevin Love teve uma excelente atuação, marcando 14 pontos em 14 minutos em quadra.

A equipe ficou muito carregada de faltas, um problema que o "coach K" disse precisar resolver. "Nós cometemos muita faltas e o jogo não pedia isso. Na verdade, foi uma partida com um ritmo lento. De qualquer maneira, foi um ótimo primeiro passo vencer uma boa equipe como é a França", avaliou Krzyzewski.

Espanha vence. Considerada favorita para fazer a final olímpica contra os americanos pela segunda vez consecutiva, a Espanha não enfrentou dificuldades para derrotar a China por 97 a 81. O time bicampeão europeu está no grupo do Brasil.

Pau Gasol marcou 21 pontos, enquanto Serge Ibaka deixou o banco para fazer 17 pontos. Os espanhóis também comemoraram o fato de terem, pela primeira vez em um mês, toda a sua equipe à disposição. Marc Gasol e Sérgio Rodriguez, que estavam lesionados, voltaram a ter condição de jogo.

BASQUETE MASCULINO

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.