Atacante fica perto de ir à África

Nilmar não conseguia esconder a felicidade pelos três gols marcados diante do Chile. "Sabia que este jogo seria a minha oportunidade de jogar mais tempo. Acho que soube aproveitar a oportunidade e pude demonstrar meu trabalho." Nilmar sabe que a concorrência pela reserva de Luís Fabiano é muito grande. Depois do jogo de ontem, ele saiu na frente diante do flamenguista Adriano, que teve atuação apagada. Alexandre Pato (Milan) e Ronaldo (Corinthians) também sonham com uma vaga na seleção.

Almir Leite, O Estadao de S.Paulo

10 de setembro de 2009 | 00h00

O atacante do Villarreal, da Espanha, afirmou que aproveitou o bom astral do companheiro Luís Fabiano, que, suspenso, ficou de fora da partida. "Divido o quarto com ele nas concentrações. Ele me ligou da Espanha para dizer que eu iria fazer um gol. Fiz três e agora vou ligar para ele para agradecer o apoio."

Nilmar explicou a letra "L" que fez com a mão direita após o seu segundo gol na partida, o quarto da seleção brasileira. "Fiz uma promessa de homenagear a minha esposa Laura. Esqueci no primeiro gol. Ainda bem que fiz mais dois, senão ia ficar ruim para mim lá em casa", brincou o ex-jogador do Internacional, que relembrou as graves lesões que sofreu nos joelhos. "Acho que terminaram as desconfianças que tinham de mim."

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.