Atacantes fazem clássico 'à parte'

Kleber tenta se livrar das polêmicas e reconquistar torcedores enquanto Emerson usa discrição e gols para convencer Tite

Daniel Batista e Vitor Marques, O Estado de S.Paulo

27 de agosto de 2011 | 00h00

Além da tradicional e histórica rivalidade, o clássico entre Palmeiras e Corinthians amanhã, em Presidente Prudente, pela última rodada do primeiro turno do Campeonato Brasileiro, coloca frente à frente atacantes que atravessam momentos distintos. Enquanto Kleber, titular absoluto de Felipão, busca reconquistar parte da torcida após sequência de polêmicas - a última delas o fato de ter frequentado uma uniformizada do rival quando adolescente -, Emerson mostra lado mais discreto para conquistar a confiança de Tite.

Kleber é o jogador que mais desperta amor e ódio no Palmeiras. O jogador, que já foi unanimidade, hoje é contestado por parte dos palmeirenses, mas ainda endeusado pela maioria. E para reconquistar os velhos adeptos, o Gladiador espera brilhar no clássico para acabar de vez com qualquer desconfiança.

A atuação diante do Vasco, pela Copa Sul-Americana, quando marcou um gol, fez com que Kleber recuperasse a simpatia de parte dos torcedores. Mas a revelação de que era corintiano, com direito a cadastro na Gaviões da Fiel, ainda não foi bem aceita por boa parte dos palmeirenses.

Até os colegas de time pegaram no seu pé. "Os caras (jogadores) gritaram umas músicas que a torcida do Corinthians canta e o Valdivia colocou um bilhete no meu armário dizendo "aqui é Palmeiras"", contou o atacante, constrangido.

Mas Kleber ainda está com prestígio perante a torcida. Tanto que o nome preferido para colocar nas camisas do Palmeiras compradas na loja virtual oficial do clube é do atacante. O que mais o incomodava era o jejum de gols. Foram dez jogos sem marcar.

Contra o Vasco, Felipão escalou o time com três atacantes, sendo que Luan atuou mais avançado, auxiliando Maikon Leite e o Gladiador. O trio deve ser mantido amanhã.

Silêncio. No Corinthians, os jogadores evitaram ao máximo falar sobre a polêmica na qual Kleber se envolveu com a Gaviões. Os poucos que se manifestaram, como o goleiro Júlio César, disseram que é normal um jogador profissional defender um clube rival daquele para o qual torcia quando era mais jovem.

Dos atacantes do Timão, nenhum "rivaliza" com o Gladiador nesse quesito. Até Emerson está bem mais tranquilo do que quando jogava no Fluminense, onde se envolveu numa polêmica bem mais delicada que a de Kleber: foi flagrado cantando músicas do Flamengo nos vestiários do Fluminense.

Emerson, que até agora não virou titular, é uma opção de Tite para o clássico de amanhã. Ele disputa vaga no time com Willian e até com Jorge Henrique. A única certeza no ataque do Corinthians é que Liedson vai jogar. O artilheiro do time no Brasileiro, com seis gols, será a referência na frente uma vez que Tite voltará com o esquema de três atacantes.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.