Ataque e defesa, dois problemas para Mancini

Vagner Mancini tinha um problema. Agora são dois. Entre o empate por 3 a 3 com o Santo André e a primeira derrota no Brasileiro, sábado à noite, contra o Botafogo, no Engenhão, o Santos teve 10 dias livres para trabalhar. Preocupado com o elevado número de gols que o time vinha sofrendo, em razão erros de sua defesa, o treinador fez longas palestras para o grupo e orientou os jogadores de marcação em treinos específicos para corrigir as falhas, mas não deu certo. Na partida de sábado, além de o setor defensivo continuar se mostrando deficiente, também o ataque não funcionou. Hoje à tarde, os jogadores voltam aos treinos e Mancini de novo terá uma semana para acertar a equipe que recebe o Atlético-MG, domingo, na Vila. "Foi o pior jogo Santos desde quando assumi, há 120 dias", comentou o técnico. "O futebol do time esteve bem abaixo do normal. Não há explicação para o que aconteceu. A equipe se defendia bem, mas de repente tomou dois gols em sete minutos."Embora reconhecesse que o Botafogo marcou bem alguns jogadores decisivos do seu time, Mancini ressaltou que já no primeiro tempo Molina e Paulo Henrique Lima deixaram de chutar de fora da área quando tiveram oportunidade. "Sentimos falta de velocidade, passes de primeira e ousadia."

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.